Retrospectiva 2019 – Voleibol feminino

Foto: Divulgação/São Paulo/Barueri

O ano de 2019 foi marcado pelo retorno de alguns esportes no São Paulo Futebol Clube, e o voleibol feminino surgiu de uma parceria com o Barueri. O São Paulo disputou e conquistou o Paulistão Feminino, e está em disputa da Superliga Feminina.

CONFIRA ⇒ A primeira retrospectiva foi do futebol profissional

Início da parceria 

Tudo começou através do técnico multicampeão pela seleção brasileira, José Roberto Guimarães, que comanda um projeto de voleibol no Barueri. A equipe do Barueri já disputava a Superliga, conquistou a Superliga B em 2017 e conseguiu acesso para a elite onde chegou nos mata-mata, porém sem grandes resultados.

São-paulino assumido, Zé Roberto procurou o São Paulo para uma parceria, e no dia 14 de maio, o Blog do Menon divulgou que o Tricolor Paulista voltaria a ter voleibol. No dia 19 de julho, o projeto foi apresentado em coletiva no Estádio do Morumbi, comemorado por Zé Roberto Guimarães e pelo presidente Leco.

Foto: Ivan Marconato/Rádio Poliesportiva

Elenco

O São Paulo/Barueri prosseguiu o que já vinha sendo feito, um time com jovens jogadores, e manteve a base que já estava pronta das temporadas anteriores. Poucas mudanças de Zé Roberto Guimarães, este que foi responsável total pelo projeto como a importante montagem do elenco.

As líberos Nyeme e Dani Terra, as opostas Kisy e Lorenne, as centrais Mayany, Lays, Diana e a Larissa Besen, as ponteiras Maira, Tainara, Moara, Carol Grossi e Jheovana, por fim as levantadoras Juma, Jacke Pina e Thayane.

(Foto: Rubens Chiri | saopaulofc)

Paulistão

Com Vôlei Bauru, Osasco Audax e Pinheiros, o São Paulo/Barueri era azarão, até chegou na final e foi vice em 2017, depois na semifinal e ficou em terceiro em 2018, mas sempre parando em Bauru e Osasco.

Na primeira fase, foram 6 jogos, o São Paulo venceu 3 e perdeu 3. Venceu Valinhos, São Caetano e Joseense, enquanto perdeu para Bauru, Audax e Pinheiros, ambos por 3 sets a 0.

A equipe são-paulina se classificou na quarta colocação, e enfrentou o quinto colocado, São Caetano nas quartas de final. Primeiro jogo bateu a equipe por 3 sets a 1, depois 3 a 0 em casa e seguiu para a semifinal.

Na semifinal, o encontro o Sesi Bauru, simplesmente a melhor campanha da primeira fase, venceu os seis jogos e classificou direto para a semifinal da competição. E na ida em casa, derrota por 3 a 0, despedida? Que nada, o Tricolor reagiu fora de casa, na Panela de Pressão em Bauru, venceu por 3 sets a 0, e ainda venceu o golden set, classificando para a final.

Chegou na decisão contra o badalado time do Osasco Audax, vitória convincente por 3 sets a 0 no Ginásio José Corrêa, e em Osasco foi um jogão, os mandantes que contém a força de seu ginásio, fizeram 2 sets a 0, com as parciais 25/22 e 25/20, mas o São Paulo/Barueri reagiu na partida, 24/26, 22/25 e 11/15, com isso nem precisou de golden set, levou o título do Paulistão de Voleibol Feminino.

Foto: Paulo Arnaldo e Jessica Di Risio / Poliesportiva

Superliga

Campeão estadual, o jovem time são-paulino chegou com certa moral na Superliga, e nos primeiros jogos já demonstrou que não entrou para brincadeira.

Bateu os cariocas do Fluminense e Flamengo por 3 sets a 0. Mas quando enfrentou o SESC Rio, comandado pelo Bernardinho, o time acabou derrotado de 3 sets a 0, foram sets disputados, ponto a ponto, um sinal da força são-paulina.

Na 4ª rodada, reencontro com o Sesi Bauru, e desta vez, derrota por 3 sets a 1, o Tricolor até começou vencendo, mas não conseguiu manter o resultado. Em seguida, reencontro com o Osasco Audax, e em jogão, derrota por 3 sets a 2, não deu para as são-paulinas que começou perdendo, buscou a virada, mas não suportou no quarto e quinto set.

Depois de longa pausa, 15 dias sem jogo, o São Paulo/Barueri retornou contra o Valinhos, então lanterna da competição, e sofreu muito para vencer, o time pecou bastante, mas conseguiu a vitória de 3 sets a 1. Em seguida, no dia 17 de dezembro, derrota feia para o Minas, 3 sets a 0, e má atuação do Tricolor.

Para fechar o ano, o São Paulo encarou o São Caetano, o novo lanterna da competição, e teve muitas dificuldades para vencer, começou vencendo o primeiro set, tomou a virada no segundo e terceiro, mas buscou a vitória no sufoco, com o quinto set sendo 16/14, resultado 3 sets a 2, foi difícil.

A campanha está bem regular, 8 jogos, 4 vitórias e 4 derrotas, saldo de sets está 15:15, ou seja, muito equilíbrio para a equipe são-paulina no torneio.

Panorama geral

O voleibol, diferente do basquete, é um pouco distante do torcedor são-paulino por estar em Barueri, mesmo assim a torcida se faz presente no Ginásio Jose Corrêa, e em jogos por São Paulo como em Osasco, Bauru, Valinhos, São Caetano, enfim, é um projeto interessante de uma modalidade forte no cenário brasileiro.

No total em 2019, foram 20 jogos da equipe de São Paulo/Barueri, foram 12 vitórias e 8 derrotas. O destaque individual tem sido a oposta Lorenne, em geral a maior pontuadora do time nos jogos, mas vale ressaltar também a líbero Nyeme e a levantadora Juma também tem tido um grande destaque.

Para 2020, é esperado que o time mantenha a campanha, chegue no mata-mata da Superliga Feminina e consiga um bom resultado na temporada.

Fábio Martins (@fbiomartins1)

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe um comentário