Adeus ano velho, feliz ano… VELHO?

(Divulgação: São Paulo FC)

2019

O dilema do torcedor são-paulino na última década tem sido um retrocesso de erros e mais erros, todos parecem se repetir de ano em ano, falta de planejamento para contratações, troca de técnicos e falta de objetivos na temporada. O São Paulo Futebol Clube, tem se levado a base do “Brigaremos pelo que disputarmos”, e na maioria das vezes, essa disputa tem sido, a briga por meio de tabela, para se manter na primeira divisão ou o contentamento com aquela vaguinha na Libertadores, suada, conquistada no último suspiro do campeonato nacional. Sem falar das competições de mata-mata, das quais temos sido eliminados sempre nas primeiras fases. Mas o que leva um clube que era exemplo de gestão, a se tornar um dos clubes mais desorganizados do país? A resposta é simples, não se vive de história, paramos no tempo.

Acompanhamos recentemente casos como o do goleiro Jean que na última quarta-feira (18) foi acusado de agredir sua esposa em uma briga nos Estados Unidos e teve seu contrato com o clube rescindido (Veja). Além disso, pouco antes, na noite do dia anterior, acompanhamos o caso de Robert Arboleda que foi fotografado vestindo a camiseta de um rival, após supostamente perder uma aposta no futebol de férias com os amigos no Equador, o jogador se retratou em suas redes sociais (Veja). Mais recentemente ainda, na noite do último Domingo (22), tivemos o caso do garoto Helinho, que foi flagrado ao se envolver em confusão na saída de uma casa noturna em Sertãozinho, interior de São Paulo (Veja).

Esses três casos representam um pouco do que é a instituição durante os últimos anos e são apenas alguns dos diversos problemas de mal comportamento de jogadores que tivemos recentemente. Mas o que será que acontece com o São Paulo Futebol Clube? Contratamos jogadores de peso, treinadores já consagrados no futebol, diretores de renome que promovem o clube além das 4 linhas, e mesmo assim parece que nada muda?

Jean, ex-goleiro do São Paulo FC.

2020

O ano de 2019 terminou e de acordo com os últimos balanços financeiros do clube divulgados pelo site, Globoesporte.com (Veja), terminaremos o ano com um déficit de R$ 180 milhões caso não haja vendas de jogadores até 31/12/2019, o que convenhamos de fato não deve ocorrer. O ano de 2020 já começou, não só nos planejamentos que existem a alguns meses, mas também dentro das 4 linhas, temos saídas praticamente certas e a busca por reforços já gera especulações.

Ainda que os planejamentos já tenham começado, os nossos questionamentos, irão continuar existindo, pois o São Paulo atual é feito de dúvidas e incertezas, geralmente essas dúvidas têm seu lado bom e ruim, no caso do São Paulo, não existe lado bom, afinal as perguntas são: “Quem será o culpado pelas falhas desse ano? Quando ocorrerá a primeira troca de treinadores da temporada? Será que iremos vencer algum clássico?” e ainda que tenhamos esperanças em títulos, elas se dissolvem com a irregularidade da equipe em todas competições, acompanhada da falta de comprometimento e organização de nossos jogadores e comandantes internos e externos.

As perguntas são as mesmas, as respostas mudam a cada ano, mas a postura da instituição e de seus comandantes continua sendo retrograda, teremos ao menos mais 366 dias de Leco no comando e o que nos resta é esperar mais um ano de incertezas, torcendo pra que passe rápido e para que os 1461 dias seguintes, sejam de uma nova gestão consciente que recupere nossa história e nos faça sentir novamente representados por nosso clube, afinal o tempo não para, mas o São Paulo, já parou.

Carlos Augusto Barros e Silva, Presidente do São Paulo FC até o final de 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: