Em meio a experiência, São Paulo aposta na juventude como futuro no NBB

Igor Araujo e Danilo Penteado, os jovens do São Paulo.

O São Paulo teve seu elenco reformulado para a disputa do Campeonato Paulista de 2020, que tem início marcado para outubro. Nomes como Cassiano, Jones, Holloway, Mamedes, Murilo Becker e Douglas Kurtz deixaram a equipe. Em contrapartida, cinco jogadores reforçaram o elenco são-paulino. Dawkins, Bennett, Isaac, Lucas Mariano e Gerson trazem, além de qualidade, experiência. O time comandado por Cláudio Mortari ainda conta com seis remanescentes. Quatro deles, destaques do tricolor paulista na campanha que garantiu a terceira colocação na última edição do NBB. Os conhecidos e renomados Georginho de Paula, Shamell, Jefferson e Renan Lenz seguem no clube.

E os outros dois? Bom, são os únicos que defenderão as cores do São Paulo pela terceira temporada consecutiva. Danilo Penteado e Igor Araujo, contratados ainda no início de 2019, quando o tricolor paulista iniciava a preparação para a Liga Ouro daquele respectivo ano, dão sequência a um trabalho de lapidação que promete render  frutos em um futuro próximo. Os mais jovens do plantel e, coincidentemente, os atletas com “mais tempo de casa”, Igor e Danilo desfrutam da confiança dada pela comissão técnica.

“Na minha visão, é mais uma oportunidade para eu mostrar meu talento e também poder ajudar o clube a conquistar alguns títulos futuramente. Acho que tem um pouco de confiança sim, afinal não é atoa que estou mais temporada com eles.”, disse Danilo. “Desde a Liga Ouro eu e o Danilo criamos uma identidade com o clube e a torcida, nos sentimos em casa aqui no São Paulo. Acredito que estamos fazendo nosso trabalho bem feito e por isso essa continuidade.”, completou Igor.

Igor em atividade na Liga Ouro de 2019
Danilo, também na Liga Ouro de 2019, vestindo a camisa tricolor

Maurício Sanzi, diretor do basquete do São Paulo, ressaltou que o plano inicial era contratar os dois jovens e, logo após, lapidá-los para uma eventual disputa de Liga de Desenvolvimento em 2020. “Quando nós contratamos o Igor e o Danilo a idéia era jogar a LDB nesse ano (2020). Tínhamos o planejamento de montar uma equipe que representasse bem o tricolor nessa categoria. Agora, com essa pandemia, não sabemos como será essa questão da Liga de Desenvolvimento.”, destacou.

Ambos ficaram nitidamente empolgados com a ideia de comandar uma equipe do São Paulo na LDB. “Eu quero estar sempre dentro de quadra e gostaria muito de poder jogar uma LDB pelo São Paulo. A última que joguei foi há 2 anos, seria legal ver o quanto evoluí desde então.”, comenta Igor. Já Danilo finalizou expressando um sentimento de longa data “É um grande sonho representar o São Paulo na LDB. Como o clube nunca disputou esse campeonato, seria muito bom poder estar na primeira equipe e ser um dos cabeças, puxando a base são-paulina.”

Experientes na Liga de Desenvolvimento, Igor e Danilo já disputaram duas e três vezes, respectivamente, a competição. O armador de 20 anos atuou em 24 jogos e teve médias de 5.4 pontos e 1.2 assistência com 14.6 minutos de quadra. O ala, que completou 21 anos em março, tem números parecidos: 6.5 pontos, 3.3 rebotes e 31.1% nas bolas de três pontos com 16 minutos em 35 jogos. Vale lembrar que os jovens já se enfrentaram quatro vezes na LDB. Em 2017, Danilo saiu vitorioso nos dois embates diante do Pinheiros de Igor. No ano seguinte, em 2018, Igor trocou de camisa. Mas mesmo defendendo as cores do Palmeiras, foi novamente derrotado por Danilo, também em outras duas oportunidades.

Danilo Penteado em ação pelo CA Paulistano
Igor Araujo defendendo as cores do EC Pinheiros

Agora companheiros no São Paulo, vivem realidades diferentes dentro do plantel. Durante a Liga Ouro de 2019, Danilo esteve em quadra em 18 jogos, atuando por 9.6 minutos em média. Igor saiu do banco de reservas em apenas 3 oportunidades, para jogar somente 8 minutos totais no torneio. Na temporada seguinte, ganharam mais chances com o técnico Cláudio Mortari, mesmo com o camisa vinte perdendo parte da campanha no Campeonato Paulista devido a uma lesão. Ambos enfatizaram a importância dos ensejos recebidos e mostraram confiança quanto a preparação para a temporada que está por vir.

“É nítido que eu evolui bastante como jogador e também como pessoa. Aproveito as oportunidades e tento sempre dar o meu melhor, independente do tempo na quadra. Nessa temporada (2020/21) espero ter mais chances e poder contribuir com o time de alguma forma. Tenho focado em crescer a cada jogo e treino, para assim ajudar a equipe. Minha meta particular é superar a temporada passada e conseguir ser mais visto. Também quero representar o São Paulo em disputa de títulos individuais ou até a seleção sub-21”, aponta Danilo. Lamentando veementemente a lesão, Igor seguiu a mesma linha e também traçou planos futuros “Foi muito bom voltar a atuar após a lesão. Eu nunca tinha ficado longe das quadras por mais de uma ou duas semanas e dessa vez fiquei 3 meses. Mas, em contrapartida, usei esse período para melhorar fisicamente e mentalmente. Meu objetivo a cada temporada é ser melhor do que na anterior. E sim, pretendo ir ganhando meu espaço cada vez mais.”

A comissão técnica do São Paulo é sempre demasiadamente elogiada e dispensa apresentações. Os gigantescos Cláudio Mortari e Enio Vecchi, nomes célebres do basquete nacional, comandam uma equipe forte e especializada em áreas distintas. O time formado por auxiliares, preparadores, analistas, médicos, fisioterapeutas, nutricionistas e muito mais é, sem dúvidas, um dos mais qualificados de todo o país. O trabalho que é feito, principalmente na gestão pessoal, é muito elogiado e venerado pelos atletas são-paulinos, em especial Danilo e Igor.
“A comissão técnica me ajuda muito. Vejo claramente que mudei bastante o meu jogo desde que cheguei aqui e procuro sempre escutar o que eles tem a dizer.”, disserta o armador. “O Claudio e o restante da comissão técnica estão, com certeza, me fazendo crescer a cada dia. Eles sempre dão aquele puxão de orelha, pega no pé e eu agradeço muito por isso. São poucas as pessoas que tem a incrível oportunidade de trabalhar com o Mortari, ainda mais com a minha idade. Trato como uma grande chance na minha vida, é gratificante demais poder estar ao lado de um multicampeão.”, complementa o ala.
Cláudio Mortari, treinador do São Paulo.
Os dois jovens fazem parte de um plantel deveras experiente e recheado de jogadores insignes. Shamell, Jefferson e Lucas Mariano são apenas três dos diversos nomes notórios do elenco são-paulino. Donos de um enorme potencial, Igor e Danilo carregam a responsabilidade de serem o futuro do São Paulo no basquete brasileiro. A equipe tricolor, apesar de já consolidada no cenário nacional, traça um planejamento a longo prazo sobre a dupla do Morumbi, adotando um processo de desenvolvimento voltado a evolução dos atletas.
“A responsabilidade é realmente bem grande quando você joga em um time super experiente. Poder estar ao lado desses caras é muito gratificante para mim. Agora estou aqui, atuando com vários jogadores que assistia pela televisão. Além disso, ser o futuro de uma equipe tão enorme como o São Paulo é extremamente bom.”, afirma o ala Danilo. “A responsabilidade sempre existe, mas procuro ver isso como uma oportunidade de evoluir. Quero desempenhar meu papel da melhor forma possível.”, ressalta Igor.
Elenco do São Paulo para a temporada 2020/21.
Danilo foi convocado, em 2019, pelo técnico Léo Figueiró para representar a Seleção Brasileira no Sul-Americano Sub-21. Na ocasião, o Brasil sagrou-se campeão do torneio após vencer a Argentina na grande final. O ala relembrou a conquista e não poupou elogios ao São Paulo “Representar um clube tão grande como São Paulo, mesmo aos 21 anos, e ser um dos primeiros jovens são-paulinos a alcançar seleção brasileira é muito gratificante. Representar o meu país também foi sensacional, afinal são selecionados apenas 12 atletas, então você não imagina que estará lá. Defender a camisa de um país com milhares de jogadores, vindo de uma cidade que muitos queriam estar no meu lugar pra mim foi muito, muito bom. E pretendo sim ser convocado mais uma vez, com todo orgulho do mundo.”, falou.
Convocado em 2019, Danilo foi campeão do Sul-Americano Sub-21 pela Seleção Brasileira

Uma parceria que vai muito além das quadras. O basquete proporcionou a Igor e Danilo uma amizade que foi construída ao longo das temporadas vividas no São Paulo. Ambos se conhecem há anos, mas a relação de dia a dia se iniciou apenas no tricolor paulista. Hoje, além de atuarem na mesma equipe, os dois dividem o mesmo apartamento. Parceiros dentro e fora das linhas, o armador e o ala compartilham do mesmo sentimento e, principalmente, do mesmo sonho: Gravarem seu nome na história do São Paulo.

Diego Marcondes, SPFC 24 Horas.
Diego Marcondes

Diego Marcondes

16 anos. Amante de basquete e são-paulino desde criança, sonha em ser jornalista no futuro. Escreve, também, sobre o Boston Celtics no site Celtics Brasil e sobre NBB no portal Jumper Brasil. @diegaom25

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.