Após derrota, Crespo desabafa e diz: “A única solução é trabalho”

(Foto: SPFCTV)

O São Paulo voltou a ser derrotado no Brasileirão 2021 e o técnico Hernan Crespo desabafou após 1×0 para o Fortaleza em pleno Estádio do Morumbi.

Crespo teve um tom firme depois da partida, e falou sobre realidades do momento vivido pelo clube. Sendo assim, pediu paciência para a reconstrução da equipe.

Avaliação do jogo

Em meio aos desabafos sobre o momento, Crespo falou sobre a derrota em casa: “Hoje foi um jogo muito equilibrado, onde o time queria ser protagonista e jogar no campo rival, talvez faltou um pouco de qualidade para terminar as ações, e o jogo termina com uma bola parada. Que tranquilamente poderíamos ganhar. O jogo foi equilibrado em todos os aspectos, uma pequena situação a favor deles definiu o jogo. Acredito que a ideia de jogar, de tentar ser protagonista, o São Paulo teve esta intenção, mas o adversário joga e talvez faltou um pouco de qualidade e precisão, mas as intenções foram corretas”.

Paciência e reconstrução

O argentino voltou a pregar trabalho e união do grupo: “O Paulistão, para mim, é muito pequeno para a história do São Paulo, mas muito importante para o presente. Saber que é um momento difícil que estamos atravessando, mas decidimos atravessar, a comissão, elenco e diretoria juntos. A situação quando é fácil, é fácil falar. Todos fora são dirigentes, jogadores e têm a solução. A única solução é trabalho. Sou eu e os dirigentes. Sabendo a situação crítica do São Paulo”.

Pediu paciência em relação ao momento vivido: “Não passar por períodos difíceis é não saber de futebol. O problema é que a história do São Paulo é muito maior do que a realidade de jogo, que o São Paulo tem de ser como sua história. Estamos construindo em uma situação difícil para ter um São Paulo melhor. Espero, porque trabalhamos todos juntos, não sei se estarei aqui para ver este São Paulo, mas estou aqui para fazer um São Paulo melhor”.

Solução sem dinheiro

Crespo fez um longo desabafo sobre a realidade financeira do clube na falta de reforços, mas falou para continuarem trabalho: “Sabíamos que aceitar o trabalho no São Paulo seria difícil pela situação financeira. Como resolver? Com potencial econômico. Vamos trabalhar dia a dia sabendo que vamos sofrer e passar por situações difíceis. Mas vamos continuar a trabalhar todos juntos. A diretoria pagando dívidas e nós tentando ser competitivos na medida do possível”.

Em seguida, mostrou um cenário longo para a recuperação: “Mas o presente vai ser difícil para todos. A diferença é quem quer ver e quem não quer ver. Vocês sabem perfeitamente que eu trabalho como profissional há 25, 30 anos. Você pensa que eu não sei que devemos melhorar? Temos muito a melhorar. Todos sabemos. E todos estamos aqui para melhorar por um futuro e presente melhor, mas o tempo é esse. Sem dinheiro, os tempos são mais longos”.

Susto com a convulsão do massagista Marcelinho

Logo após o gol sofrido, o banco de reservas, principalmente com Crespo estava desesperado pedindo ambulância, era por conta do massagista Marcelinho que passou mal no banco de reservas.

Sobre o caso, Crespo falou: “Estou aqui porque tenho muito respeito por vocês e o trabalho de vocês. Acima de tudo, respeito pela torcida que merece alguma explicação. Mas é muito difícil para a gente falar quando viu um companheiro de trabalho lutar pela vida. Um abraço grande de todo o elenco ao Marcelo, estamos agora mais tranquilos, porque ele está estável. Muito difícil falar de futebol, acredito que futebol é muito importante na vida de todos, mas é a coisa menos importante na vida. Ver um companheiro de trabalho sofrer assim não é fácil. A vida continua, ele está bem e estamos todos mais tranquilos”.

Trio da esperança volta?

Crespo não quis garantir retornos, e falou com cautela sobre Miranda, Rigoni e Luciano: “Devemos esperar. Ainda temos de esperar. Sinceramente, eu quero dizer que sim, que está tudo ok, tudo perfeito. Mas cada minuto, cada segundo é muito importante para as recuperações dos jogadores, que são muito importantes para o time”.

Trio já trabalha no campo, e está em processo de transição para o retorno. Sendo assim, expectativa é positiva para voltarem contra o Racing na terça (20).

Prioridade por alguma competição?

O treinador são-paulino nunca falou de priorizar torneios e manteve postura: “Não é fácil. O São Paulo merece ser competitivo e vamos honrar todas as competições, dando o máximo. Onde vamos chegar? Não sei. Mas vamos lutar sempre para chegar no mais alto possível. Vamos ver, o tempo dirá. Queremos chegar longe na Libertadores, Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro. Mas não vai ser fácil, a realidade é essa”.

E completou falando sobre o momento sendo realista: “Não quero mentir a ninguém. Com as ferramentas que temos, vamos colocar o São Paulo no mais alto possível. Onde vamos alcançar, não sei. Mas trabalhamos para isso, no presente difícil estar trabalhando para construir um futuro à altura que o São Paulo. Não sei quanto tempo vamos ficar aqui, um ano, dois… mas estamos trabalhando juntos para sair desta situação. Todos sabem que a situação geral é difícil, mas estamos trabalhando para sair e para ter um futuro melhor”.

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.