#RaioXLibertadores: Club Sporting Cristal

O Sporting Cristal é o atual campeão peruano (Foto: Sporting Cristal/Divulgação)

O São Paulo se prepara para mais uma tentativa de conquistar o seu quarto título na Libertadores. Na próxima terça (20), o Tricolor entrará em campo em sua estreia na temporada 2021 da competição. O adversário, o Sporting Cristal, tem uma história que passa por uma companheira muito habitual em nossas tardes e noites de futebol no estádio em tempos não-pandêmicos: a cerveja.

Tudo começou em 1955, nos galpões da cervejaria Backus & Johnston, quando alguns funcionários consideraram a ideia de criar uma equipe esportiva para representar a empresa. A ideia foi levada até os diretores da empresa, que não viam a sugestão com bons olhos, com receio sobre o futuro do negócio.

Porém, a partir desse momento, surgiu uma figura considerada chave nesse projeto. Ricardo Bentín Mujica, com o apoio e suporte da sua esposa, Esther Grande de Bentín, se determinou a levar a ideia para a prática.

No distrito de Rímac, no Centro de Lima, tinha uma equipe muito pequena que disputava a liga profissional do Peru. O Sporting Tabaco não tinha tradição, nem histórico de conquistas, e atravessava uma crise financeira extremamente aguda. Esse clube foi o escolhido para se tornar o representante da cervejaria Backus & Johnston. Feito o vínculo entre clube e cervejaria, o casal Bentín, juntamente com Blas Loredo (que foi o primeiro presidente do clube), procuraram terrenos em Rímac para que novas instalações esportivas fossem erguidas.

A Federação Peruana de Futebol, entretanto, não viu com bons olhos o fato do Sporting Tabaco se juntar a uma grande empresa do país. Esse impasse só foi superado quase no início de 1956, quando surgiu oficialmente o “Sporting Cristal Backus”. “Cristal” é o nome do produto mais famoso da Backus & Johnston. Uma das cervejas mais populares do Peru até os tempos atuais.

O Sporting Cristal Backus ganhou uma instalação de 137 mil m² no bairro de La Florida, na área mais nobre do distrito de Rímac, e lá o clube iniciou a missão de estar entre as potências nacionais.

Naquela época, os rivais a serem batidos eram o Alianza Lima (hoje na Segunda Divisão), Universitario, Sport Boys e o Deportivo Municipal.

Logo no início da sua trajetória, o Sporting Cristal Backus já faturou o título peruano, em 1956. O fato fez muitos jornalistas e fãs de futebol na época afirmarem que o clube “nasceu para vencer”. Com o passar dos anos, a proposta de sucesso do clube se confirmou, assumindo o protagonismo no futebol do Peru junto com Alianza Lima, Universitario e o Cienciano.

Alguns anos depois, o termo “Backus” foi removido do nome do clube, que passou a se chamar como o atual “Club Sporting Cristal”.

Hoje, é o terceiro clube mais popular do Peru, atrás do Alianza Lima e do Universitario. Em 2005, após mudanças nas leis do futebol aprovadas no parlamento peruano, o clube passou a se chamar “Club Sporting Cristal Sociedad Anónima Civil”.

Na atualidade, é o detentor do título peruano de futebol, comandado por Roberto Mosquera, o melhor treinador peruano no momento, levando em consideração que o técnico da Seleção Peruana, Ricardo Gareca, é argentino.

Embora tenha erguido instalações esportivas de alta importância em sua história, o Sporting Cristal não tem um um estádio próprio. Por isso, utiliza o Estadio Alberto Gallardo, no bairro de San Martín de Porres, e o Estadio Nacional, no luxuoso bairro de Santa Beatriz.

E é em Santa Beatriz que a bola vai rolar na próxima terça (20) para Sporting Cristal x São Paulo, a partir das 21h30.

Caio Felix
[email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.