Colón quebra invencibilidade de Aguirre no Morumbi, e do São Paulo contra times argentinos

(Foto: Fábio Martins | SPFC 24 Horas)

Na noite de quinta-feira (2) o São Paulo foi a campo para enfrenar o Colón, no Morumbi, a partida era válida pela segunda fase da Sul-Americana.

Os comandados do Diego Aguirre começaram a partida muito bem, no começo do jogo o Tricolor era muito aceso no campo de ataque, Militão e Bruno Peres e Rojas faziam um inferno na defesa do Colón pelo lado direito. O time argentino jogava recuado no Morumbi e sua defesa formava uma parede, na frente da sua área, teve momentos que o São Paulo não conseguia achar espaços na defesa do time argentino.

O São Paulo no primeiro tempo fazia uma marcação pressão, Hudson e Bruno Peres formavam a dupla de volantes, já que Liziero foi poupado e Luan não pode jogar o campeonato da Conmebol, e Jucilei é o grande desfalque no meio campo do tricolor, está no Reffis se recuperando de lesão. Aos 16′ do primeiro tempo o São Paulo quase abriu o placar com Éverton, após uma boa jogada iniciada com Reinaldo que contou com a falha de Toledo, e “Kingnaldo” tocou pra Nenê que deixou passar pra Diego Souza, o camisa 9 do tricolor tocou pra Éverton que bateu e passou perto do gol, mas a bola acabou indo pra fora pelo lado esquerdo. Até os 20′ minuto de jogo o São Paulo já tinha feito 9 cruzamentos, os comandados de Aguirre não tentavam trabalhar a bola e nem concluir de fora, só pensava em cruzar na área, esperando que Diego Souza conclui-se de cabeça, mas o camisa 9 do tricolor estava bastante marcado e afoito na partida.

O Árbitro parece que não foi com a cara de Hudson, o volante do tricolor não podia chegar um pouco mais forte no adversário que o juizão já marcava falta, e não foi à toa que ele amarelou o volante são-paulino. O Colón aos 23′ bateu uma falta ensaiada, inteligente, mas não deu em nada, o time argentino comandado por Eduardo Dominguez não conseguia fazer boas coisas no Morumbi, pois o meio campo do tricolor era excelente na marcação Hudson parecia um leão atrás de sua presa.

A zaga do São Paulo que não costuma falhar, aos 26′ deixou dois contra um em um lançamento, se não é o Jean o Colón iria abrir o placar no Morumbi. a melhor e última chance do Primeiro Tempo foi aos 28′ minutos, foi a vez de outro ponta do São Paulo desperdiçar uma grande chance. Militão levou pela linha de fundo e cruzou para a área. O zagueiro que marcava Joao Rojas não conseguiu rebater a bola e ela sobrou para o equatoriano, que dominou bonito, mas, ao fazer o arremate, mandou por cima do travessão, deixando o grito de “gol” entalado na garganta dos torcedores que compareceram ao Morumbi na noite fria de quinta-feira.

Segundo Tempo

Já na segunda etapa o São Paulo não perdeu tempo e por pouco não balançou as redes, logo aos quatro minutos. Hudson acionou Diego Souza, que ao tentar fazer o pivô na entrada da área teve a bola rebatida. O próprio volante tricolor que iniciou a jogada ficou com a sobra e bateu de primeira, tirando tinta da trave do goleiro adversário. Dez minutos depois, Hudson voltou a protagonizar ótima chance de gol, desta vez tentando completar de carrinho a bola escorada por Diego Souza na área, mas o goleiro Burián chegou antes para fazer o bloqueio.

Aos 21 minutos, foi a vez de o São Paulo carimbar o travessão. Nenê cobrou falta, a bola desviou na barreira e na sobra Bruno Alves cabeceou praticamente na pequena área, aproveitando a saída do goleiro, mas foi outro atleta tricolor que não teve sorte em sua investida e carimbou o travessão, gerando grande frisson nas arquibancadas. Se no primeiro tempo o São Paulo não tomou gol, no segundo tempo a história foi diferente.

Sem conseguir marcar, o time comandado por Aguirre abriu espaço para o Colón sair no contra-ataque. Aos 34 minutos, Fritzler, na entrada da área, ficou com o rebote do cruzamento feito pela esquerda e mandou para o gol de primeira. A bola ainda desviou em Hudson que não poderia ter tido este azar, e a bola acabou entrando no ângulo direito do goleiro Jean, que nada pôde fazer para evitar a derrota do Tricolor em pleno Morumbi que estava mais frio que o Polo Norte.

Aguirre e o elenco são-paulino reconheceram a primeira derrota no seu Estádio, e ainda o Colón quebrou um fator inédito, que foi o São Paulo perder pela primeira vez no Morumbi em competições da Conmebol diante de clubes argentinos.

Se jogássemos mais um tempo, a bola não entraria”, concluiu Reinaldo sobre a derrota

Futebol tem isso. Vimos o exemplo do Santos contra o América-MG (1 a 0 para os mineiros, na Vila Belmiro). Acho que nunca pegamos uma equipe tão fechada como hoje. Mesmo assim, criamos muito mais do que eles, e eles tiveram a felicidade em um chute de fora da área. Mas a diferença é pequena, dá para reverter”, concluiu o volante Hudson.

O Tricolor irá jogar a partida de volta no dia 16 de agosto na Argentina, no Estádio do Colón que bastante conhecido como Cemitério de Elefantes, por causa de grandes vitórias conquistada dentro de seu estádio.   

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 0 X 1 COLÓN

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 2 de agosto de 2018, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Leodan González (URU)
Assistentes: Miguel Nievas (URU) e Carlos Barreiro (URU)
Público: 35.666 torcedores
Renda: R$ 828.533,00

GOL: Matias Fritzler, aos 34 minutos do 2ºT (Colón)
Cartões amarelos: Hudson e Diego Souza (São Paulo); Ortiz (Colón)
Cartão vermelho: Brenner (São Paulo)

SÃO PAULO: Jean; Militão, Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo (Gonzalo Carneiro); Hudson, Bruno Peres (Shaylon) e Nenê; Rojas (Brenner), Diego Souza e Everton; Técnico: Diego Aguirre

COLÓN: Burián Castro, Toledo, Olivera, Ortiz, Godoy e Escobar; Heredia (Sandoval), Fritzler e Estigarribia; Alan Ruiz (Bernardi) e Correa (Bastía); Técnico: Eduardo Dominguez

                                                                                                                           Matheus Lima

Matheus Miguel

São-paulino desde que nasci. Comecei a frequentar o Morumbi quando tinha 13 anos de idade. Aos finais de semana vou ao CT de Cotia para ver os novos talentos que vem surgindo no São Paulo. Tenho 16 anos, nasci em São Paulo e resido em Osasco. Amo escrever sobre o São Paulo, e sou Fanático por futebol. Sonho em ser Jornalista Esportivo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.