Buscando a segunda vitória no Campeonato Paulista, São Paulo enfrenta Paulistano no Ginásio do Morumbi

Foto: Ricardo Bufolin/EC Pinheiros

Após iniciar a participação no Campeonato Paulista de 2020 com uma vitória convincente sobre a jovem equipe do Pinheiros, o São Paulo encara, nesta sexta-feira (09), o Paulistano, que passou por um enorme processo de reformulação na intertemporada. Desta vez no Ginásio do Morumbi, casa do tricolor paulista, o embate terá início às 20h (horário de Brasília) com transmissão ao vivo pela TV FPB, através do canal oficial da GCS Sports no YouTube. Como em possivelmente todo o estadual, a partida não poderá contar com a presença do público.

Vitória diante do Pinheiros

Apesar de complicado, o triunfo do São Paulo em sua estreia no Campeonato Paulista foi bastante animador. Aguerrido, o Pinheiros fez boa partida e, durante grande parte do confronto, dificultou as ações do tricolor paulista. O ritmo pinheirense, fortalecido pela jovem e já entrosada base do clube, deu trabalho aos experientes comandados por Cláudio Mortari. O sistema defensivo do time do Morumbi apresentou falhas em alguns momentos, principalmente no ágil e veloz jogo de transição do adversário. Teichmann, pivô do ECP, teve ótima função tática e incomodou bastante o garrafão são-paulino. Apostando no nível técnico de seu elenco, o São Paulo obteve maior superioridade no segundo tempo e conseguiu imprimir seu estilo de jogo, garantindo assim uma vitória com um leve gostinho de quero mais, mostrando o grande potencial do plantel.

O destaque da partida foi o armador Georginho de Paula. Atual MVP do NBB e do Paulista, a estrela do São Paulo terminou o duelo com 22 pontos, 5 rebotes, 5 assistências, 70% de aproveitamento nos arremessos de quadra e 50% nas bolas de três pontos. Kenny Dawkins foi fundamental saindo do banco e contribuiu anotando 10 pontos. Corderro Bennett (12 pontos), Lucas Mariano (15 pontos) e Jefferson (9 pontos e 10 rebotes) também se destacaram.

O adversário – CA Paulistano

Bem como o Pinheiros, último adversário do São Paulo, o Paulistano também passou por um processo de reformulação nessa intertemporada. Os movimentos do clube vermelho e branco, contudo, foram mais leves. A equipe comandada por Régis Marrelli sofreu cinco baixas importantes: Yago Mateus e Gelvis Solano, destaques na última edição do NBB, deixaram o time. Além deles, os alas Dominique Coleman e Eddy e o pivô Dikembe também não farão parte do plantel. Vale ressaltar que esses foram os cinco jogadores que mais atuaram na temporada anterior.

Porém, mesmo com as preocupantes saídas, o novo elenco do Paulistano aparenta ser animador. O conjunto engloba equilíbrio e flexibilidade e, principalmente, faz uma interessante mescla entre juventude e experiência. Recentemente contratados, os alas-armadores Cauê Borges e Deryk Ramos, o ala Jimmy Dreher e o ala-pivô Du Sommer dão uma amplitude maior ao time de Régis Marrelli e criam um teto alto para a nova temporada. De contrato renovado, a dupla Victão e Maique segue comandando o garrafão do Paulistano. Jovens talentos, como Ruivo, Beto, Anderson e Jonatan também continuam no plantel do clube paulista.

Felipe Ruivo, Beto Fagundes e Matheus Buiú (armadores); Cauê Borges, Deryk Ramos e Daniel Ifedi (alas-armadores); Jimmy Dreher, Jonatan e Anderson Barbosa (alas); Victão e Lucas Dória (alas-pivôs) e Maique, Du Sommer e Rafael Araújo (pivôs) formam o elenco do Paulistano, que será novamente comandado pelo experiente treinador Régis Marreli.

Destaques do Paulistano

Experiência: Nada semelhante ao Pinheiros, o Paulistano aposta em um quarteto rodado e experiente como base do elenco. O ala-armador Cauê Borges, campeão da última Liga Sul-americana pelo Botafogo, coleciona incríveis 12 temporadas de Novo Basquete Brasil (NBB). Seu melhor desempenho foi em 2017/18, quando teve médias de 16.1 pontos na surpreendente campanha do Caxias. Também ala-armador, Deryk Ramos é nome já conhecido no clube vermelho e branco. Atuando no NBB há 10 anos, o atleta de 1.88m foi campeão da liga pelo Paulistano na temporada 2017/18, onde fez uma de suas melhores épocas, principalmente se destacando no perímetro. O mais jovem do quarteto, Du Sommer, assim como Deryk, vestiu a camisa do Paulistano na inédita conquista do NBB e retorna a equipe paulista. O ala-pivô também venceu a LSA pelo Botafogo e 2019 e coleciona boas passagens pelos dois times. Jimmy Dreher é o jogador mais experiente deste plantel. O ala de 30 anos está no NBB desde a fundação e já defendeu as cores de Joinville, São José, Basquete Cearense e Franca. Com alguns títulos no currículo, Jimmy venceu três vezes o prêmio de Melhor Defensor da Temporada, chegando até a quebrar a longa hegemonia do célebre Alex Garcia.

Oportunidade de ouro para jovens: Vencedora e competente, a base do Paulistano vem se destacando nos últimos anos, essencialmente após ótimas campanhas na Liga de Desenvolvimento e, claro, no trabalho em geral. Na atual temporada não será diferente e os jovens terão mais espaço do que nunca para evoluir. O promissor Felipe Ruivo vem para a então maior oportunidade de sua carreira. O armador de 22 anos, apontado como uma das principais promessas do basquete nacional, finalmente terá o que sempre precisou para dar um salto em seu jogo: volume e alta minutagem. Além dele, nomes como Anderson, Jonatan e Beto, que já faziam parte da rotação na última temporada, ganharão ainda mais oportunidades com a reformulação do elenco. O recém-contratado Lucas Dória também terá chances de se provar em terras tupiniquins. Já consolidado, o ala-pivô Victão foi um dos jogadores que mais evoluíram na última edição do NBB e deve melhorar seu desempenho nesse novo Paulistano. Mais jovens, Matheus Buiú, Daniel Ifedi e Rafael Araújo terão o Campeonato Paulista como prova de fogo.

Nova filosofia, equilíbrio e mescla entre peças: A saída de nomes importantes e consolidados no cenário nacional abriu espaço para uma nova filosofia de jogo dentro do Paulistano. Por incrível que pareça, esse corte no talento individual pode ser uma notícia animadora. Apostando em uma mescla entre experientes e jovens jogadores, o técnico Régis Marrelli terá em suas mãos um elenco com certeza mais coletivo e flexível que na última temporada. O maior detalhe é o número de estrangeiros: zero. A amplitude do plantel coloca o time do Jardins como aspirante a surpresa do estadual. O equilíbrio entre as peças do elenco permite ao treinador uma ampla variedade tática, já que seus atletas poderão ser deliberados para as mais diversas funções dentro de quadra. Os estilos se encaixam perfeitamente e o time se completa. Paulistano terá, inicialmente, um conjunto cadenciado e que, caso seja bem trabalhado pelo treinador, pode surpreender positivamente.

O jogo

Com um elenco definitivamente mais forte, o favoritismo é todo do São Paulo. O Paulistano, contudo, pode surpreender e gerar dificuldades ao time comandado por Cláudio Mortari. O ritmo de jogo e condicionamento físico dos atletas são fatores determinantes nessa volta após mais de sete meses longe das quadras. O tricolor paulista enfrentou o Pinheiros no último domingo, retomando oficialmente às atividades. Já o CAP, disputou (e venceu) apenas um jogo amistoso diante do Mogi, mas ainda não estreou no Campeonato Paulista.

Tudo indica que será um confronto equilibrado, principalmente devido ao matchup. E, por isso, fica a expectativa de um grande embate tático. A ver qual será a função de Deryk e Du Sommer como possíveis reservas de luxo. Maique e Victão deram trabalho ao garrafão são-paulino na última temporada, será que Lucas Mariano continuará sendo explorado no pick-and-roll e pick-and-pop do adversário, assim como foi diante do Pinheiros? O backcourt com Ruivo e Cauê Borges é um ponto positivo também. Qual será o impacto do Jimmy? O prognóstico é de incógnita, mas o Paulistano tem peças para imprimir dificuldades ao time são-paulino, que precisará se adaptar mais uma vez. E, claro, o nível técnico do São Paulo é deveras superior e garante, ao menos inicialmente, uma vantagem ao tricolor do Morumbi.

Pelo lado do São Paulo, suponho que a rotação terá seu devido valor na noite desta sexta-feira. Kenny Dawkins, Gerson Santo e Jefferson William, saindo do banco, vão incomodar o ainda frágil conjunto do Paulistano. É um fator importante e que deverá ser utilizado por Cláudio Mortari. O ala Isaac, que seria fundamental neste duelo, está fora da partida de hoje. Desfalque diante do Pinheiros no domingo, ele foi diagnosticado com COVID-19 e se recupera para voltar a atuar.

Curiosidades e retrospecto

O Clube Athletico Paulistano foi um dos responsáveis pela criação do São Paulo Futebol Clube. Fundado em 30 de novembro de 1900 com o intuito de valorizar e incentivar a prática da educação física entre os brasileiros, o CAP abandonou o futebol em 1930, abrindo espaço para a união com membros da Associação Athlética das Palmeiras, que ocasionou na fundação de um novo time: o São Paulo.

Arthur Friedenreich tornou-se ídolo em ambas as equipes. No Paulistano, conquistou seis Campeonatos Paulistas (1918, 1919, 1921, 1926, 1927 e 1929), além de ter sido o artilheiro da competição também em seis edições. Já pelo São Paulo, defendeu o clube por cinco anos (1930 a 1935), com 125 jogos disputados e 105 gols marcados (11º maior artilheiro da história do time). Um dos primeiros ídolos do esporte no país, Arthur Friedenreich inspirou o Paulistano a criar um mascote em sua homenagem. E disso nasceu Fried, “El Tigre”, a junção de dois apelidos do atacante que alegra o torcedor no Ginásio Antônio Prado Jr.

São Paulo e Paulistano se enfrentaram duas vezes na última temporada. O tricolor paulista venceu em todas as oportunidades.

1: Paulistano 92×98 São Paulo – NBB (Renan Lenz 28p e 8r / Georginho de Paula 11p 13r e 13a)

2: São Paulo 75×74 Paulistano – NBB (Shamell 19p e 5r / Léo Meindl 15p e 11r)

FICHA TÉCNICA:

Jogo: São Paulo x Paulistano

Local: Ginásio Poliesportivo Dr. Antonio Leme Nunes Galvão, Morumbi (SP)

Data e horário: 09 de outubro, 20h00 (horário de Brasília).

Transmissão: TV FPB – GCS Sports no YouTube.

PROVÁVEIS TITULARES:

São Paulo: Georginho de Paula, Corderro Bennett, Shamell Stallworth, Renan Lenz e Lucas Mariano. Técnico: Cláudio Mortari.

Paulistano: Felipe Ruivo (Deryk Ramos), Cauê Borges, Jimmy Dreher, Victão e Maique. Técnico: Régis Marrelli

Arremesso Tricolor: ouça o podcast de basquete do SPFC24Horas em seu agregador favorito:

O Arremesso Tricolor é uma proposta independente e totalmente exclusiva do site SPFC 24 Horas.

Diego Marcondes

17 anos. Amante de basquete e são-paulino. Um dos percusores do Arremesso Tricolor. Também colaboro em Jumper Brasil e BasCast Brasil.

Deixe um comentário