Atletas aparecem no BID, Formiga revela carinho e mira volta

Em 2016, a seleção feminina esteve em Cotia. (Foto: Igor Amorim | @saopaulofc)

Devido as restrições em São Paulo, a estreia do Brasileirão Feminino foi remarcado para o dia 17 de abril, quando o São Paulo enfrenta o Grêmio às 17 horas, com mando do clube do Morumbi.

Atletas no BID

Mesmo com o adiamento, o São Paulo registrou algumas de suas atletas no BID durante a última semana. As recém-chegadas Mônica Bittencourt, Carla Nunes, Nath Pitbull, Naná e Micaelly apareceram. Também renovações com Carla, Giovana, Natane, Dani Silva, Lary Santos, Duda e Gláucia já estão registradas como postamos em nosso Twitter.

Volta ao Brasil

A experiente meio-campista, Formiga revelou para a UOL Esportes: “Minha ideia é voltar para o Brasil agora, mas eu já tive propostas de clubes dos Estados Unidos em outro momento e, se acontecer de novo, vamos analisar. Mas se eu acabar indo para outro país, não será um contrato longo, porque quero estar o quanto antes no Brasil para jogar mais uns dois anos e fazer os cursos da CBF pensando na minha continuidade como treinadora”.

Com 43 anos, Formiga é uma das principais jogadoras da história do futebol brasileiro, exemplo de superação e empenho. Defende a seleção brasileira feminina desde 1995, passou por todos os principais torneios como Pan-Americano, Olimpíadas, Mundial, de lá para cá, sempre como líder do time.

Passagem e carinho pelo São Paulo

Campeã Pan-Americana de 2007 e depois em 2015, Formiga atuou no São Paulo de 1993 até 1999, grande período do futebol feminino do São Paulo, teve a formação no clube e cresceu bastante naquele timaço que tinha Sissi e Katia Cilene. De 2011 até 2016 esteve no futebol brasileiro entre São José e São Francisco-BA, eis que foi para o PSG e ficou lá até então…

Para 2021, mesmo com reforços fechados, o São Paulo pode acertar com a experiente volante, e ela mesmo falou sobre o carinho: “Tenho carinho porque é um clube desse tamanho que já naquela época não fez descaso do feminino para o masculino, deu assistência, deu tudo o que precisávamos. Para muitos não era nada, mas o São Paulo nessa época deu espaço para que mulheres praticassem esporte sem preconceito, e hoje muitos clubes trabalham assim”.

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.