Apresentado, Eder fala em vontade e desafios no Brasil

(Foto: Rubens Chiri / saopaulofc)

O atacante Eder foi devidamente apresentado como novo jogador do São Paulo e com muita educação agradecendo pergunta por pergunta dos jornalistas, um pouco de dificuldade no português, afinal foram muitos anos no futebol italiano e seguido pela China, respondeu questões sobre sua idade, adaptação ao futebol brasileiro, amizade com Miranda… E muito mais!

Vale citar que Eder teve a companhia do ídolo Müller no projeto da atual gestão de unir reforço com algum ídolo do clube. No caso do Eder foi recebido pelo ex-atacante que ganhou muitos títulos nos anos 80 e 90.

Dedo do Miranda na vinda

“A gente fala que no futebol temos muito companheiros, mas no Miranda já é um grande amigo. Vamos para o quinto ano juntos. Fico muito feliz, seja na Inter, China fomos felizes”

Conversas iniciais

“A gente teve contato quando ele estava para fechar com o São Paulo e falou que diretores perguntaram minhas condições, lá na China, e ele passou aquilo que achava. O primeiro contato com o presidente, depois com Muricy, Rui, Belmonte, e assim começou, hoje estou feliz”

Tempo parado

“Chinês acabou em novembro. Um pouco de tempo parado. Mas depois de chegar no Brasil em dezembro, comecei treinamentos, mas não é a mesma coisa treinar separado e com grupo. Cheguei em boas condições, estou treinando com grupo desde primeiro dia, é o quinto treinamento”

Idade

“Estou me sentindo muito bem. Essa questão idade, falo sempre que a idade é somente um número. Tudo vem da cabeça, a vontade do jogador de fazer aquilo que gosta. Chega aos 34 anos, mas tem vontade de treinar, sacrificar em modos de prevenção, alimentação, cuidar”

Projeto no São Paulo

“O projeto aqui do São Paulo, quando tive contato com presidente, fui sincero, que em janeiro tive possibilidade de voltar a Itália e não deu. Minha cabeça era voltar a Europa em julho, onde tinha propostas”

Contato com outros clubes

“Só que eu tive contatos com outros clubes aqui no Brasil, nada de sentar e conversar. Como o São Paulo chegou em mim, através do presidente, diretores, aquilo que me apresentaram e que vi do clube no final de 2020, acompanhei jogos. Um clube enorme, desse jeito!”

Contato com o Crespo

“Nesses primeiros dias, na única conversa que tive com o Mister (Crespo) foi de preparação, no modo como falei antes de treinamento, intensidade, e conseguir chegar na minha parte física melhor o mais rápido possível”

“Um único jogador, em uma tática, em um modulo, conta pouco, mas sim o grupo. Ele não está passando individual, mas sim ao grupo inteiro, tudo aquilo que ele quer. Nesse momento não tive conversa com ele sobre esse tipo de posicionamento ou tática ainda”

Criação na base do Criciúma

“O Criciúma tenho carinho muito grande. Foi uma passagem rápida, cheguei na base com 13 para 14, com 17 e 18 fui para a Itália. Mas foi um time que me botou na vitrine, deu toda a base, é um time que procuro seguir sempre, levo com carinho”

Convocação na seleção italiana

“Da seleção (italiana) a primeira vez que fui convocado foi em 2015, por ai, tinha 10 anos de Itália. E como sai do Brasil novo, fiz uma escola lá na Itália, ia para jogos com profissional. Me sentia como jogador, muito mais italiano na parte tática”

“Quando tive essa chamada, primeira conversa com Conte, dessa minha convocação, disse que não teria problema e que aceitaria. A seleção italiana não é qualquer uma. É uma seleção importante e por tudo que vivi na Itália, me sentia adaptado ao estilo de jogo, momento”

Diferença da China com Itália

“A diferença que tem da Europa (Itália) para a China, um pouco é visibilidade. Na China tem menos acesso aos jogos. Particularmente treinava mais na China que na Inter de Milão com a comissão técnica com romenos, com um treinador que é considerado Mourinho da Ásia”

Brasileiros vindo da China

“Hernanes e Pato não acompanhei muito. Mas a primeira passagem do Hernanes em 2017 foi bem boa, voltando da China. Acho que como eu volto, é a questão do sacrifício. Onde você tem a vontade de trabalhar, cuidar, de toda parte, durante a semana!”

Adaptação

Um dos assuntos mais falados na apresentação foi sobre adaptação no futebol brasileiro: “Não sei te dizer o porque de chegar aqui. Pode ser uma adaptação. São muitos anos na Itália, China, aqui é um futebol diferente. É um modo de adaptação e não de parte física”

Respeito e contato com Crespo

“Chamo ele de Mister (Crespo), pelo modo italiano. Mas o modo que sempre chamei treinadores. Para ele também é uma adaptação. Ele teve sucesso na Argentina e como jogador nem se fala, teve sucesso no futebol italiano. É uma nova experiência no Brasil”

“A gente conversou um pouco e acho que ele está bem adaptado e conseguindo transmitir muito bem aquilo que ele quer para o grupo”

“Posso te falar nos primeiros contatos que tive com o Mister Crespo, grupo, que ele gosta de muita intensidade, nossos treinos são muito intenso, de muita pressão. O grupo está seguindo ele neste sentido, é o único modo que posso te dizer que vem trabalhando muito”

Desafio na Libertadores

“A Libertadores é como jogar uma Europa League, Champions League, campeonato a parte. Para o torcedor do São Paulo tem um significado a mais, clube acostumado a esse tipo de jogo, acostumado a ganhar esse tipo de competição. Vai ser legal, diferente!”

VEJA ⇒ Análise do reforço – Eder, conheça o atacante

“Foi um dos motivos de vir para o São Paulo, jogar uma Libertadores”

Pandemia

“Parte de Pandemia, como falei antes, é delicado por tudo que estamos vivendo. Não só no Brasil como no mundo. Então nessa parte acho que lá no local do nosso trabalho, tem muitos controles, seguindo protocolos, tudo certinho, tem que tentar fazer nosso trabalho”

Grupo de qualidade

“O grupo do São Paulo vendo nesses dias, tem muita qualidade, e eu acho que esses meninos, sejam os novos, jovens, ou quem chegou, os mais experientes. Tendo esse tipo de qualidade com intensidade que pede o Mister, o São Paulo pode fazer um grande ano”

Facebook: @SPFC24Horas | Instagram: @spfc24horas | Twitter: @spfc24horas_

Fábio Martins

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.