Análise: O São Paulo no primeiro turno do NBB Caixa 2019/20

São Paulo
Foto: São Paulo FC/Instagram

O São Paulo encerrou sua participação no primeiro turno do NBB nesse domingo (29), com uma vitória contra o Pato Basquete. Com um ótimo retrospecto de 11 vitórias e 4 derrotas, o tricolor se encontra na terceira colocação da competição. No Super 8, o adversário do time paulista será o Minas. Nesse texto você irá conferir todas as estatísticas, informações, análises e opiniões.

SÃO PAULO NO PRIMEIRO TURNO DO NBB:

RETROSPECTO:

11 vitórias: 97×84 (Corinthians), 73×67 (São José), 102×95 (Flamengo), 81×69 (Brasília), 85×78 (Botafogo), 88×78 (Pinheiros), 92×73 (Basquete Cearense), 73×70 (Bauru), 88×87 (Franca), 98×92 (Paulistano) e 87×63 (Pato Basquete).

4 derrotas: 83×80 (Mogi), 78×75 (Minas), 89×79 (UNIFACISA) e 106×95 (Rio Claro).

ESTATÍSTICAS DO TIME:

Pontos por jogo: 86,2;

Rebotes por jogo: 38,1;

Assistências por jogo: 20,0;

Pontos permitidos por jogo: 80,8;

55,9% de acerto na bola de 2;

34,9% de acerto na bola de 3;

71,6% de acerto no lance livre.

Jogos:

15: Georginho de Paula, Léo Meindl, Shamell Stallworth e Renan Lenz.

14: Jalen Jones e Jefferson Andrade.

13: Cassiano Bueno.

12: Douglas Kurtz.

10: Murilo Becker.

5: Danilo Penteado.

2: Igor Araujo.

1: João Mamedes.

NÚMEROS – Minutos/Pontos/Rebotes/Assistências/2PT/3PT/Lance Livre:

Léo Meindl: 33,9 min/ 17,4 pts/ 6,9 reb/ 3,7 ast/ 71-135 (52,6%)/ 25-66 (37,9%)/ 44-68 (64,7%)

Shamell Stallworth: 36,5 min/ 17,2 pts/ 3,3 reb/ 3,9 ast/ 54-84 (64,3%)/ 39-99 (39,4%)/ 33-45 (73,3%)

Georginho de Paula: 37,9 min/ 16,3 pts/ 9,5 reb/ 8,1 ast/ 47-83 (56,6%)/ 29-82 (35,4%)/ 63-83 (75,9%)

Renan Lenz: 32,0 min/ 12,4 pts/ 6,2 reb/ 1,2 ast/ 38-59 (64,4%)/ 31-74 (41,9%)/ 17-23 (73,9%)

Jefferson William: 26,6 min/ 10,9 pts/ 5,9 reb/ 1,6 ast/ 17-49 (34,7%)/ 37-109  (33,9%)/ 8-11 (72,7%)

Murilo Becker: 17,7 min/ 7,2 pts/ 3,1 reb/ 1,1 ast/ 20-39 (51,3%)/ 2-15 (13,3%)/ 26-34 (76,5%)

Douglas Kurtz: 10,7 min/ 4,4 pts/ 2,7 reb/ 0,2 ast/ 22-34 (67,6%)/ 0-0 (0%)/ 7-12 (53,8%)

Jalen Jones: 10,4 min/ 3,1 pts/ 1,8 reb/ 0,6 ast/ 13-23 (56,5%)/ 4-21 (19,0%)/ 6-8 (75,0%)

Danilo Penteado: 2,8 min/ 1,6 pts/ 0,4 reb/ 0,4 ast/ 1-1 (100%)/ 2-6 (33,3%)/ 0-0 (0%)

Cassiano Bueno: 4,8 min/ 1,1 pts/ 0,8 reb/ 0,2 ast/ 4-8 (50,0%)/ 1-14 (7,1%)/ 3-4 (75%)

João Mamedes: 2,0 min/ 0,0 pts/ 0,0 reb/ 0,0 ast/ 0-0 (0%)/ 0-0 (0%)/ 0-0 (0%)

Igor Araujo: 2,0 min/ 0,0 pts/ 0,0 reb/ 0,0 ast/ 0-0 (0%)/ 0-1 (0%)/ 0-0 (0%)

RECORDES:

Líder em pontos: Léo Meindl (6º entre todos os jogadores)

Líder em rebotes: Georginho de Paula (1º entre todos os jogadores)

Líder em assistências: Georginho de Paula (1º entre todos os jogadores)

Líder em roubos de bola: Georginho de Paula (14º entre todos os jogadores)

Líder em tocos: Renan Lenz (3º entre todos os jogadores)

Líder em eficiência: Georginho de Paula (1º entre todos os jogadores)

ANÁLISE:

O São Paulo fez um bom primeiro turno em seu primeiro ano de NBB. Com 100% de aproveitamento fora de casa, o tricolor fez frente a equipes tradicionais da liga, como Franca e Flamengo, além de conquistar vitórias importantes em confrontos diretos. Apesar do ótimo retrospecto, as 4 derrotas em casa terminaram com um sentimento ruim para o torcedor, que viu a equipe não garantir mais do que 50% de aproveitamento em seu ginásio. O time de Cláudio Mortari conta com Georginho e Léo Meindl, ambos eu seu auge técnico e físico e brigando por MVP, com o armador favorito para o prêmio e o ala entre os cinco primeiros. Com muitos altos e alguns baixos, um dos revés até então foi a defesa, que bateu cabeça em diversos momentos e sofreu bastante em derrotas como as para UNIFACISA e Rio Claro.

O banco de reserva é o principal problema do São Paulo na competição. Os bancários não acompanham o ritmo dos titulares e quando entram em quadra acabam diminuindo o volume de jogo, facilitando o rendimento dos adversários. Com muitas surpresas ao decorrer do turno, terminar em terceiro e garantir mando de quadra no Super 8 foi um feito e tanto. A impressão que fica para o segundo turno e o restante do torneio é que se manter o ritmo, o time são-paulino pode ir longe, terminando no G4 e indo com moral para os playoffs, mas precisa continuar jogando dessa mesma maneira, o que deve ser difícil, afinal, a rotação é curta e as estrelas jogam muitos minutos, dando mais espaço para cansaços e lesões. A volta de Desmond Holloway, que deve acontecer em março, pode ajudar muito a minutagem do treinador Cláudio Mortari para a fase final do NBB.

Diego Marcondes (@DiegãoM25)

Diego Marcondes

17 anos. Amante de basquete e são-paulino. Um dos percusores do Arremesso Tricolor. Também colaboro em Jumper Brasil e BasCast Brasil.

Deixe um comentário