Obrigado Crespo: Começo promete!

Obrigado Crespo

Embora Reinaldo, Daniel Alves e outros jogadores tenham agradecido a colaboração de Fernando Diniz, acho que o que sobrou da passagem do ex, foi pouca coisa.

Havia a saída de bola suicida e a posse de bola.

Com Crespo, houve uma verticalidade de jogo, que não existia.

A marcação se tornou posicional.

Hernan valorizou Rojas, que estava a margem, praticamente descartado.

Lizziero ganhou a titularidade, assim como Léo.

Passamos a conhecer o futebol de Tales, de Galeano, de Wellington, de Rodrigo Nestor.

A agressividade do jogo, fez com que nossos laterais tivessem um ganho de produtividade, Reinaldo e Igor Vinícius cresceram.

E Daniel Alves na lateral encorpou o time, tanto é que Tire o chamou de novo para a seleção.

A confiança ganha através de palavras hermanas, principalmente através do próprio Crespo e de Kohan, foi adicionada a um ambiente leve, descontraído. Ao mesmo tempo, os treinos ganharam em intensidade.

Por menos que tivessem melhorado, Pablo e Vitor Bueno melhoraram o suficiente para colaborar com jogadas e alguns gols. Bueno aproveitado como centroavante.

O time de Diniz era formado por 11 mais Tchê Tchê e Vitor Bueno, não saindo disso.

Já nosso hermano elegante rodou com sabedoria o elenco.

O Defensa jogava num 3-4-3; o Tricolor passou a usar o 3-5-2 com alguma variação pontual.

A marcação alta e agressiva, tentando a recuperação da posse da bola, também favoreceu nosso jogo.

Foram muitas mudanças, fora as personas, com Muricy, Rui Costa e Belmonte.

Primordiais as contratações de Miranda elevando ainda mais a eficiência da zaga e a de Benítez como cérebro da equipe.

Crespo tirou um peso de nove anos sem títulos e de 16 sem Paulista.

Esse peso arrastado e doído, foi o que prejudicou, por exemplo, na reta final do Brasileirão passado e até na final do Paulista de 2020.

Em 3 meses de trabalho, foi uma verdadeira virada de chave no clube.

E isso foi conquistado graças ao ” bom casamento” entre São Paulo e a comissão técnica Argentina.

Parabéns a Casares, Belmonte e Muricy que entrevistaram e descobriram Crespo como a solução dos problemas.

Agora, temos a perspectiva real de disputa de qualquer campeonato a ser disputado, sabendo que se houver uma derrota, será depois de muita disputa, de muita briga pela bola, mostrando essa garra demonstrada até aqui em 2021.

Então, só resta dizer “Obrigado Crespo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.