Os Gringos do Basquete Tricolor

Conheça mais sobre os 4 norte-americanos que defendem a camisa do Basquete Tricolor na temporada 2021/2022

 

Em seu 4 ano desde o retorno das atividades, o Basquete do São Paulo ganha corpo na atual temporada, mesmo com a saída dos últimos MVPs no NBB do elenco, Lucas Mariano e Georginho. A chegada de Marquinhos, Bruno Caboclo e, mais recentemente, Lucas “Bebê” Nogueira, alimentam as expectativas dos torcedores que sonham com o projeto vencedor. Certamente, existem motivos para tal. 

O início do Campeonato Paulista tem aumentando ainda mais essa esperança, uma vez que o São Paulo é o único invicto restante na competição, com sete triunfos nos sete jogos disputados. Assim, em busca de manter a boa fase, a equipe de Cláudio Mortari recebe o Bauru no próximo sábado, 04/08, às 18h00, no Ginásio do Morumbi. 

E, uma das chaves para o bom momento da equipe são-paulina até o momento passa pela presença e atuação dos “Gringos Tricolores”. 

Dessa forma, aproveitando o limite de estrangeiros permitidos nas principais competições que participará, o São Paulo conta com 4 jogadores norte-americanos em seu elenco. São eles: os recém chegados Cristopher Ware e Tyrone Curnell, que reforçam o garrafão tricolor, e os remanescentes Corderro Bennett e Shamell Stallworth, que ainda se recupera de lesão. 

E, para você ficar por dentro do que pode esperar de cada um deles em quadra, preparamos um breve histórico de cada jogador. Confira abaixo:

Americanos do Basquete Tricolor

Shamell Jermaine Stallwort

Shammel-Reprodução-Twitter-São-Paulo

Reprodução: Twitter São Paulo

Capitão Tricolor, o ala Shamell Stallwort vai para o seu terceiro ano atuando pelo São Paulo. Único remanescente do elenco de 2019-2020, o jogador norte-americano ainda se recupera de lesão no ombro sofrida em partida nas semifinais do NBB 13, não tendo previsão de volta.

Natural de Fresno, Califórnia, até se lesionar, Shammel, vinha com médias de 14,4 pontos e 14,4 de eficiência por jogo no NBB, sendo um líder em quadra para a equipe que chegou até as finais do campeonato. Mas, sua ausência também foi fator preponderante para o São Paulo ficar com o vice-campeonato.

Nesse sentido, fica a expectativa do encaixe do craque com Marquinhos, Bruno Caboclo e Companhia LTDA do elenco tricolor. Cláudio Mortari optará por trazer Shamell em sua equipe inicial ou reforçará a segunda equipe tricolor? Por mais que projetemos, somente o tempo e os jogos nos mostrarão. Mas com certeza o São Paulo ganha com o norte-americano a disposição.  

Principais equipes que atuou no Brasil: Paulistano, Limeira, Pinheiros e Mogi das Cruzes. 

Curiosidade: Maior pontuador da história do NBB com 8.140 pontos.

 

Corderro Le Quince Bennett

Bennett-Wellington Sarmento - Arremesso Tricolor

Wellington Sarmento – Arremesso Tricolor

Ao mesmo tempo, Corderro Bennett chega para a sua segunda temporada vestindo a camisa 3 são-paulina. Com médias de 11.9 pontos e 3.4 assistências no NBB 13, o ala de 33 anos, natural de Indiana (EUA), é uma das principais armas da equipe de Cláudio Mortari no que diz respeito à defesa.

Intenso dos dois lados da quadra, Bennett traz médias de mais de 30 minutos em quadra nas duas últimas temporadas do NBB. Uma vez que a versatilidade do atleta permita que jogue em alto nível atuando e defendendo de armadores a ala.

O início da parceria com Elinho Corazza no backcourt tricolor no Campeonato Paulista 2021 animou os torcedores, mas acabou sendo interrompida momentaneamente com a lesão do armador, que chegou ao elenco tricolor nesta temporada vindo de Franca. Henrique Coelho deve assumir essa posição e fazer essa dupla com Bennett enquanto Elinho não volta.  

Principais equipes que atuou no Brasil: América e Pinheiros. 

Curiosidade: Bennett foi campeão do torneio de enterradas do Jogo das Estrelas de 2017 do NBB.

Tyrone Denell Curnell

Tyrone-Wellington Sarmento - Arremesso Tricolor

Wellington Sarmento – Arremesso Tricolor

Com passagens marcantes no Basquete Brasileiro, o Pivô norte-americano Tyrone Curnell chega para ser uma das principais referências do elenco são paulino na temporada. 

Dividindo as atenções com Bruno Caboclo no garrafão tricolor, Tyrone foi um dos jogadores mais marcantes que passou pelo basquete brasileiro nos últimos anos. Inegavelmente, parte desse sucesso passa pela sua disposição em quadra e leitura de jogo. 

Parceiro de Shamell da época em que atuaram juntos em Mogi, conquistando entre outros Títulos, o Campeonato Paulista e Liga Sul-Americana, Tyrone tenta reeditar o mesmo sucesso, só que agora no basquete tricolor.

Só para exemplificar o seu trabalho, o pivô natural de New Youk (EUA) terminou o último NBB com médias de: 

  • 12,9 pontos; 
  • 5,5 rebotes;
  • 1,7 assistências;
  • 13,4 de eficiência;
  • 28,3 minutos de quadra.

Principais equipes que atuou no Brasil: Palmeiras, Mogi das Cruzes, Minas Tênis Clube e Bauru Basket 

Curiosidade: Antes de chegar em solo brasileiro, o Ala-Pivô levou seu talento para a equipe do Kasma Basketball do Kuwait. 

 

Cristopher Lashun Ware

Ware-Wellington Sarmento - Arremesso Tricolor

Wellington Sarmento – Arremesso Tricolor

Por fim, uma das últimas adições à equipe de Basquete Tricolor, o pivô Cristopher Ware chega para ser um backup do garrafão. Parceiro de Bennet de longa data, o estadunidense chega, principalmente, para auxiliar na rotação da equipe tricolor, que faltou em muitos momentos nas últimas temporadas. 

Principais equipes que atuou no Brasil: Pinheiros 

Curiosidade: No NBB 12, garantiu a vitória do Pinheiros com um Game Winner contra o Corinthians. Placar final de 81×78.  

 

Alex Dória: O gringo brasileiro 

Wellington Sarmento – Arremesso Tricolor

Pode ser uma novidade para muitos, mas Alex Dória também poderia estar na lista dos gringos do Basquete Tricolor. Nascido no estado do Texas (EUA), Alex Dória é filho de mãe norte-americana e pai brasileiro. Com pouco mais de um ano de vida se mudou para o Brasil e passou parte de sua juventude por aqui. 

Dessa forma, o Ala-Pivô possui dupla nacionalidade e acaba não ocupando em uma das vagas de estrangeiros da equipe.

Principais equipes que atuou no Brasil: Paulistano, Mogi das Cruzes e Cerrado. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: