Decisões confusas de Aguirre atrapalham o time no Morumbi

E ai nação tricolor.

Pois bem, em jogo fraco tecnicamente, São Paulo e Internacional apenas empataram no Morumbi, o que levou o tricolor à vice-liderança provisória do Campeonato Brasileiro.

Esse foi um daqueles jogos que vi grande influência negativa do técnico. Antes de mais nada, pois acredito que apenas pelo título vai ter são-paulino hater insinuando tal coisa, não, não acho o trabalho de Diego Aguirre ruim e muito menos penso que ele deve ser demitido.

Voltando ao jogo. Começando pela escalação inicial, Aguirre decidiu poupar Jucilei, escalando Petros como primeiro volante ao lado de Liziero. Claro, Jucilei é o titular do São Paulo, não temos dúvidas disso, mas temos que entender que já temos vários desfalques por causa de lesão, então o rodízio do técnico torna-se necessário nesse sentido também, então essa decisão não tenho do que reclamar, até porque não achei a partida dos nossos volantes de todo o ruim, pois Liziero deu boa dinâmica no meio-campo, acelerando bem o jogo, enquanto que Petros marcou bem, embora tenha sido, em diversos momentos, um “volante Odebrecht”: rouba bem, mas depois entrega, pois impressionou o número de passes errados do nosso camisa 6.

Foto: Sergio Barzaghi / Gazeta Press

Para o lugar de Nenê, suspenso, o escolhido foi Lucas Fernandes. Pra mim, foi disparado o melhor do jogo, dando boa dinâmica e arriscando boas finalizações, mas sendo prejudicado por outra escolha ruim de Aguirre: Tréllez, fazendo as beiradas de campo, no lugar de Marcos Guilherme. O colombiano estava muito perdido em campo, e não contribuiu em nada ao time, pois não deu velocidade pelo lado e não ajudou a proporcionar nenhum lance perigoso, e com o Internacional jogando fechado atrás, era necessário um jogador com mais velocidade e de bom drible, afim de quebrar a defesa adversária e de achar mais espaços.

Volta o segundo tempo, e logo no início o técnico fez duas alterações: entra Shaylon e Araruna, saem Lucas Fernandes e Tréllez. Mais uma vez, totalmente confuso, pois Lucas Fernandes era o melhor jogador do time, e novamente, Araruna não iria resolver o problema ofensivo do time, com ele no lugar de Tréllez pelo lado direito, a única coisa que poderia melhorar era a marcação, pois nesse momento o Inter estava melhor no jogo, mas ofensivamente continuou nulo e sem solução, pois o jovem volante não tem as características que o time precisava para furar a retranca adversária. Por mim, entrou Paulinho Bóia, que é o jogador com as características que o time precisava, mas já era muito tarde, e também o jovem atacante não entrou bem no jogo.

Resumindo, sim, esse empate vai na conta do técnico. Começar o jogo com Tréllez foi uma decisão equivocada, e as substituições só atrapalharam o time também. Outra ressalva é que Sidão não sairá do time tão cedo, pois a diretoria planeja “blindar” o jogador, e também porque tenho a impressão que Jean não gera confiança na comissão técnica, e falando apenas do jogo, o goleiro e capitão tricolor não foi vazado, a ainda fez boa defesa em lance de Pottker, porém, o que viu-se foi um goleiro extremamente inseguro e passando sustos em lances simples, pois repito, não tem nível para ser titular incontestável de um time grande. Acho que já passou da hora da diretoria correr atrás pra resolver esse problema, e com Rafael Cabral livre no mercado, não tem desculpa se passarmos mais um ano insistindo em um goleiro limitado na meta tricolor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.