Cuca lamenta expulsão, mas diz: “Acho que o Vasco ia vencer no 11 contra 11”

(Reprodução)

O São Paulo vinha de uma ótima sequências de vitórias e jogos sem perder, mas parou no 2 a 0 para o Vasco da Gama no São Januário. O técnico Cuca falou sobre a derrota após a partida, lamentou expulsão do Raniel com dedo do VAR e ressaltou que o Vasco já vinha merecendo a vitória mesmo no 11×11.

Sobre o jogo e expulsão

“Análise que o Vasco teve um ímpeto maior no começo do jogo, bem maior. Acho que o fator campo, torcida, tudo exerceu uma pressão muito grande. A volúpia com que o Vasco entrou no começo nos trouxe alguns problemas até entender a partida. Perdemos um jogador com meia hora de jogo, lógico que vai sentir porque jogamos na quarta-feira. No fim vai te fazer uma falta ou outra. Penso que não era lance para expulsão de forma alguma porque ele está na frente. Quando a bola vem ele tenta dominar a bola. Penso que, quando muito, era lance para cartão amarelo. Acho que o Vasco ia vencer no 11 contra 11 pelo o que estava apresentando durante o jogo se a gente não mudasse de atitude como mudamos quando ficamos com um homem a menos. Uma coisa é a expulsão, que foi equivocada, e e outra o resultado do Vasco, que foi merecido.”

“No segundo tempo tentamos jogar a equipe mais para frente, buscando alternativas, tínhamos desfalques todos em um setor que fizeram falta. Não tem nada para reclamar, campeonato é assim mesmo. Tem de se reerguer quanto antes para poder vencer a próxima. Tínhamos uma invencibilidade de nove jogos, com cinco vitórias seguidas. Vamos recomeçar”

Confusão com o Castán após o jogo

“Eu não ia falar nada sobre o que aconteceu porque coisa de campo tem de morrer dentro de campo. Já que viram o que eu falei. Ano passado, o Santos e Vasco no Pacaembu, houveu m momento que o Castan me cobrou para que chamasse atenção do Gabigol e eu chamei. Ele entendeu, acabou o jogo, tudo bem. Hoje, quando o juiz tinha apitado uma falta, não lembro se foi o Marrony, depois da jogada deu um chapéu no Juanfran. Isso irrita muito quem está em campo. Falei para o Castan: “você lembra?” E o Castan veio com o Juanfran e com o Tchê Tchê, que foram falar para o menino não fazer isso. Foi uma correção que falei para que ele fizesse. Não foi nada a mais do que isso, não entrei para brigar com ninguém. Acho que ele queria vir me falar alguma coisa, entra o pessoal do deixa disso, parece que é um tumulto.”

“Falei que era uma loucura expulsar o jogador por aquela jogada. Não sei quem estava lá em cima, não tem cabimento. Mas não foi esse o motivo que perdemos. No 11 contra 11 o Vasco estava merecendo”

“É um tema muito delicado. Tem umas coisas no futebol que você já vive com elas, e de repente na nossa vida tudo está mudando. Antigamente você falava que era viado e era uma coisa normal, hoje dá cadeia falar uma coisa assim. Esses cantos começou no México falando “puto” quando bate o tiro de meta. Está sendo corrigido. Foi corrigido tanta coisa que tenho esperança que isso seja corrigido também. Quem diria que a um dia a gente ia ver um bar que ninguém pode fumar. Todo mundo fumava, até no avião. Eu não acreditava que ia vingar e vingou. Quem sabe a gente possa ter no futuro uns gritos de outras coisas que não sejam homofóbicos.”

Elogio para Luxemburgo

“Vanderlei fez um trabalho muito bom hoje, o Vasco jogou como antigamente a gente vinha jogar e tinha muita dificuldade porque houve uma fusão da arquibancada com campo do jogador. Jogadores todos muito descansados, isso é importante ter. Fizeram um jogo com ímpeto volumoso. Tivemos dificuldade nisso, foi merecida a vitória do Vasco”

‘Campanha’ é de campeão?

“Analiso que temos de ter equilíbrio e saber perder. Separar as coisas que aconteceram hoje do campeonato. Temos de buscar o porque de não ter ocorrido. Mas estamos numa obra que a gente precisa fazer um prédio de 75 andares, 76 andares. Fizemos 30 e paramos nos 30. Vamos ver se sábado a gente passa para 33. E tem dia que via chover, não vamos poder trabalhar direito e temos de administrar. Assim é o futebol. Não é numa derrota que ninguém serve e está tudo errado. Mérito para o adversário também.”

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.