Análise de reforço – Hernán Crespo

(Foto: Juan Mabromata)

Fala Nação Tricolor, tudo em cima?

Sim, após quase duas semanas da demissão de Fernando Diniz, o São Paulo anunciou seu novo treinador. Hernán Crespo, ex-craque da seleção Argentina e de tantos outros clubes. Ele vem do algoz do São Paulo em 2017, Defensa y Justicia após conquistar a Copa Sul-americana em cima do Lanús que eliminou o São Paulo.

Crespo vem com a grande missão de tentar tirar o Tricolor do Morumbi da fila de títulos. Ele chega com apenas 85 jogos na carreira de treinador com 28 vitórias, 21 empates e 37 derrotas. Sim, os números são ruins, mas como qualquer número no futebol, eles precisam de contexto. Crespo treinou três clubes, o Modena da Itália, Banfield e Defensa y Justicia da Argentina. O Modena estava na Série b do campeonato Italiano e faliu seis meses após a saída de Hernán Crespo, o clube foi rebaixado naquela temporada. Banfield é um time pequeno na Argentina apesar de quase sempre estar na Série A. O Defensa, que também é um clube de menor expressão, foi o primeiro time com uma pequena e promissora estrutura que Crespo assumiu, com isso já conseguiu conquistar um campeonato. É verdade que esse título só veio por conta de uma eliminação na fase de grupos da Libertadores, mas o treinador em entrevista admitiu que entendeu o erro da equipe no gol sofrido no último lance, custando a classificação.

Com Crespo a ruptura do trabalho de Fernando Diniz não será tão grande. Ambos os treinadores têm estilos muito parecidos, gostam da ofensividade, da posse de bola, passes para sair jogando e de comandar as ações do jogo. A tão criticada “saidinha” não desaparecerá, Crespo, assim como Diniz gosta dessa saída curta desde o goleiro, mas com algumas diferenças, os times do Argentinos costumam ser mais verticais e com armações mais rápidas. Hernán, porém, parece ser menos teimoso que Diniz em algumas questões. Crespo ainda pode aproveitar os bons frutos deixados por Fernando Diniz e com isso aprimorá-los.

A formação 3-1-4-2 foi a mais utilizada pelo ex-camisa 9 nos principais jogos na última temporada. Seus times costumam ter uma linha de marcação bem alta, com os zagueiros chegando praticamente no meio de campo, por isso é preciso que deem tempo a Crespo para ajeitar o time, com uma linha alta, basta um erro pequeno para o adversário sair na cara do gol. É um treinador que gosta de utilizar a base e jovens jogadores e como só trabalho em times de pequeno porte, está acostumado a pequenos orçamentos.

Essa formação pode potencializar jogadores do elenco, como Reinaldo e Daniel Alves que poderão atuar de alas. No entanto a alta linha de marcação exige zagueiros rápidos para evitar as bolas nas costas. Arboleda não terá problemas com isso, a questão fica em cima de Bruno Alves que vem muito mal nos lances em velocidade. Até por isso o São Paulo já está atrás de zagueiros e fez proposta pelo jovem e promissor Kanu do Botafogo.

Com o novo treinador virão mais cinco membros da comissão técnica. O auxiliar Juan Branda, o treinador de goleiros Gustavo Nepote, os preparadores Alejandro Kohan e Gustavo Satto, além do analista Tobias Kohan. Alejandro é considerado uma das referencias de sua área na América do Sul, o preparo físico dos meninos do Defensa foram destaques durante a campanha do título. “Damos ênfase na dinâmica, na velocidade, na capacidade de recuperação em esforços breves e na alta intensidade. Também na potência aeróbica”, Disse Kohan em entrevista ao site Infobae sobre a adequação de seu trabalho junto a filosofia de Crespo.

PONTOS FORTES

É um treinador jovem que gosta de propor o jogo e que tem boas ideias. Sua chegada dará continuidade ao trabalho de Diniz que teve seus bons momentos.

PONTOS FRACOS

A falta de experiência, ainda mais em um time grande, pode pesar contra Crespo e atrapalhar seu trabalho. Além disso, assim como Diniz, suas defesas são um tanto quanto frágeis e costumam a levar muitos gols.

CURIOSIDADE

Além de sua carreira como treinador, Crespo foi vice presidente do Parma em 2017 e 2018 e ajudou a recolocar o time nos trilhos e a chegar na Série A.

Gustavo Dervelan

Gustavo Dervelan

20 anos, Paulistano e são-paulino de berço! Estudante de Jornalismo na Universidade São Judas Tadeu. Apaixonado por esportes Brasil a fora.

2 thoughts on “Análise de reforço – Hernán Crespo

  • Avatar
    14 de fevereiro de 2021 em 11:06
    Permalink

    Se não manda os vagabundos Daniel Alves , HERNANES o bobo alegre profeta hur dur tal de Juan Fran , não vai mudar nada , e aí quando vazam do SPFC esses irresponsáveis …

    Resposta
    • Avatar
      14 de fevereiro de 2021 em 11:08
      Permalink

      Esses caras vão ficar atrapalhando muito tempo ainda pode ficar despreocupado

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.