30 dias antes de erro bizarro contra o Novorizontino, Edina Alves foi a 4ª árbitra no título mundial do Bayern no Catar

Edina Alves apitou a decisão de 5º lugar do Mundial e trabalhou na final (Foto: FIFA/Divulgação)

O crasso erro da árbitra Edina Alves Batista na derrota do São Paulo para o Novorizontino no último sábado (13) ainda vai render muitos debates. Considerada uma das melhores profissionais da arbitragem brasileira na atualidade, Edina já tem grandes marcas na sua carreira. Uma delas, conquistada recentemente.

Recentemente, em fevereiro, Edina, juntamente com a auxiliar catarinense Neuza Back, foram as primeiras mulheres a trabalhar em uma arbitragem de Mundial de Clubes. A FIFA selecionou as profissionais para quatro partidas do torneio realizado no Catar. Edina e Neuza comandaram a vitória do Al Duhail, time da casa, sobre os sul-coreanos do Ulsan Hyundai, na decisão de quinto e sexto lugares. Elas foram acompanhadas pela argentina Mariana de Almeida.

Edina também foi a 4ª árbitra em três jogos do Mundial: nas quartas de final, na vitória dos mexicanos do Tigres sobre o Ulsan Hyundai, na semifinal, no triunfo dos alemães do Bayern sobre os egípcios do Al Ahly, e também na grande decisão, na vitória do Bayern sobre o campeão da Concacaf.

30 dias após trabalhar diante dos olhos do mundo inteiro no jogo que deu o sexto título mundial aos bávaros, Edina sofre fortes críticas com o grave erro que cometeu em Novo Horizonte. Até o momento, a diretoria do São Paulo não se posicionou sobre o assunto.

Caio Felix
[email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.