Em 2018, o São Paulo vai ter goleiro?

Em 2017 o São Paulo passou por diversas desconfianças de uma forma geral, desconfiança sobre o trabalho do treinador/ídolo “em teste”, desconfiança sobre a diretoria questionável, composta por algumas pessoas de pouca experiência com o dia-a-dia do futebol e o principal, desconfianças sobre o elenco de baixo custo e apostas da base. Neste tivemos diversas posições em cheque e em alguns casos, ainda convivem sob a desconfiança do torcedor. Este é o caso do goleiro.

No São Paulo considerando todas as funções e papéis que cada um desempenham para o clube, desde o Presidente até o gandula, talvez a posição de goleiro, mereça uma atenção especial, afinal nosso time foi defendido durante 25 anos pelo mesmo ser humano, para alguns isso é questionável, pois fazer tudo o que Rogério Ceni fez, não é coisa de um ser humano comum, todavia, o M1to construiu história gigantesca no Tricolor, vejamos alguns recordes, daquilo que nós consideramos a era Ceni:

  • Gols como goleiro: 131/129;
  • Jogos por um mesmo clube: 1227/1187;
  • Jogos como capitão de um time: 971/957;
  • Vitórias em jogos competitivos de um time: 620 (Vitórias no geral por um mesmo time – não é recorde mundial: 645).

*Os dados acima estão registrados no livro dos recordes, o Guinness book.

Somando esses dados aos 18 títulos conquistados por esta lenda do futebol, podemos considerar que a história de Rogério Ceni a frente da meta tricolor, é um ponto fora da curva para qualquer esporte, Rogério foi sublime como goleiro e por fazer gols, pode ser chamado de herói, pois em muitos jogos ele fez defesas importantíssimas e ainda fora responsável por marcar o gol da vitória. Se tem um torcedor nesse país que entende de goleiro, é o torcedor do São Paulo.

Neste ano vivemos o reflexo bem forte do que simbolizou a aposentadoria do herói da meta tricolor, vemos que o próprio Rogerio Ceni, custou a encontrar alguém que fosse a altura de tal responsabilidade, a pessoa que realizou essa função durante 25 anos, talvez fosse o mais indicado para escolher um substituto, mas nem Sidão que foi indicado por Ceni, foi tão efetivo quanto o tocedor esperava. Abaixo vamos listar quem teve tal oportunidade em 2017 e uma breve análise:

  • Dênis – Quem mais atuou após a saída do m1to, muito inseguro, por hora distraído, mas deve ter seu valor, pois sua esposa o defende de forma voraz.
  • Renan – Teve algumas oportunidades, porém sem muita efetividade, ficou muito tempo afastado por lesões e ao que parece, dificultou a renovação por achar que joga demais.
  • Sidão – Teve algumas oportunidade e falhou, depois justificou uma lesão que o atrapalhou, tratou a lesão e agora está numa fase mais efetiva no gol tricolor, podemos dizer que este é o menos desconfiável dessa turma, pois demonstra muito respeito pelo torcedor e carinho pela instituição.

E o torcedor, o que ele espera do goleiro que irá defender a meta tricolor em 2018?

Ao que parece, o torcedor são-paulino, não espera que tenhamos outra lenda em baixo das traves do Morumbi, o torcedor quer e espera ter em 2018 um goleiro que transmita segurança para a linha defensiva, que seja atento e eficaz na sua função, sem estrelismo ou vaidade, que apenas defenda cada jogo como se fosse o último de sua vida.

Esperamos que em 2018 esse peso de substituir o M1to tenha sido superado e possamos ver nossa meta bem defendida, esse já será um bom alicerce para a reconstrução do nosso São Paulo Futebol Clube.

Roger Marques

São Paulino que não sabe bater pênalti, mas que sabe como ajudar na briga!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.