Cilinho (Otacilio Pires de Camargo) – O técnico

Foto: Arquivo Pessoal

Cilinho foi um técnico de futebol que mais fez um time de futebol me encantar e chegar muito próximo do que acredito que seja o verdadeiro jogo de bola, moleque, alegre, e muitos gols. Em 1984 o São Paulo FC passava por uma transformação de um grande time formado no início da década de 80, onde foi bicampeão paulista e vice campeão brasileiro, porém em 1982 e 1983 foi vice campeão paulista e via seu grande time, começar a não render mais.

Foi aí que o Presidente Carlos Miguel Aidar, em junho de 1984, pediu ao seu Gerente de Futebol Juvenal Juvêncio, contratar o técnico que havia sido sensação no XV de Novembro de Jaú, apresentando um futebol ofensivo e maravilhoso de se ver. Cilinho chegou com uma missão, renovar o elenco tricolor, tinha uma base sólida, com Oscar, Dario Pereira, Pita e Careca, estes últimos desacreditados no clube.

Começou aí a formação de um dos maiores times do São Paulo que vi jogar, Cilinho promoveu alguns juvenis como o goleiro Barbiroto, Márcio Araújo, Silas, Muller, Sidnei, e o São Paulo fez um grande time. O ápice de que viriam dias gloriosos foi um jogo ocorrido em 11 de abril de 1985 pelo Campeonato Brasileiro, o São Paulo jogava contra o Grêmio de Porto Alegre, no Pacaembu e precisava da vitória para avançar para próxima fase, acabou o primeiro tempo 2×0 para o Grêmio, o segundo tempo foi uma verdadeira aula de futebol do São Paulo, massacrou o Grêmio, empatou 2×2 e mesmo desclassificado foi aplaudido em pé por todos os torcedores tricolor, inclusive eu que estava lá.

CONFIRA ⇒ Infelizmente, Cilinho nos deixou no fim de novembro de 2019

Depois disto o São Paulo, contratou o goleiro Gilmar, o lateral Zé Teodoro, recuperou os craques Careca e Pita. O São Paulo jogava e goleava quase todos os times, vi vários jogos em que o primeiro tempo acabava 4×0, 5×0, era um espetáculo.

Assisti em 17 de outubro de 1985 um jogo espetacular pelo Campeonato Paulista contra a Ferroviária do gigante centroavante Marcão, na época um time difícil de ser batido, o São Paulo virou duas vezes o placar, inclusive com um gol numa jogada espetacular que acabou num golaço de bicicleta de Careca, neste ano Cilinho conquistou o campeonato Paulista.

Deixou o time montado para Pepe ser campeão brasileiro em 1986 e voltou em 1987 para ser campeão paulista novamente. Fazia treinamentos diferentes para a época, como nos coletivos (jogos titulares contra reservas), todos com uniformes iguais, somente usavam toucas na cabeça, tipo de natação, para distinguir os adversários, o objetivo era para os jogadores olharem para cima, para frente. Outro treinamento era de fazer embaixadas com bolinhas de tênis, enfim, um gênio caipira de modos simples e que encantou uma geração, chamada de Menudos do Morumbi.

Vi grandes times do São Paulo FC jogar, desde jogadores como Roberto Dias, Pedro Rocha, Gérson, etc, mas este time do Cilinho foi o que mais me encantou, me deixava feliz e que ganhava.

Colaboração Rodolfo Stella

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe um comentário