Aguirre minimiza ‘atrito’ de Sidão e Jean, e ‘brinca’ sobre cena com Jardine em Maceió: “Sabia que a televisão estava pegando, era só teatro”

(Foto: Reprodução/SporTV)

O treinador do São Paulo, Diego Aguirre, foi entrevistado por André Hernan no ‘Seleção SporTV’ e falou sobre esse começo de trabalho na equipe são-paulina.

Sidão e Jean

Nesta semana surgiu uma ‘polêmica’ sobre Sidão e Jean, postagens em suas redes sociais, mas o treinador são-paulino deixou de lado: “São coisas mínimas e que não têm importância. Fala-se muito dessas coisas, mas não estamos focados neste tipo de situação. Temos coisas mais importantes para focar. É normal. Sempre há diferenças, mas não é importante”

Sidão titular

Com Jean titular enquanto Sidão esteve machucado, mas não aproveitou chances, Aguirre disse que o camisa 12 segue com a vaga, inclusive foi capitão na partida passada, mas sem vaga cativa, olha só o que ele disse: “Sidão é o titular. Mas, aqui, sempre tem de mostrar futebol. Ninguém tem lugar assegurado no time. Estou só há uma semana aqui, conhecendo os atletas e vendo coisas nos treinos para levar ao jogo. Depende deles continuar jogando ou não”

Diego Souza

“Talvez seja a sua melhor posição, não tão fixo no ataque. Mas, às vezes, há necessidade de mudar. Vamos ver o que vai acontecer. Depende do que o jogador mostra no dia a dia. É um jogador importante e tem de se adaptar ao São Paulo”

“Tivemos uma conversa. Gosto de perguntar aos jogadores onde se sentem melhores. É fundamental que o jogador jogue onde gosta de jogar. Mas, às vezes, o Diego terá de jogar mais à frente, mesmo se sentindo melhor jogando atrás. Tomara que se adapte ao São Paulo para demonstrar que é bom jogador. Depende dele na hora de jogar e aproveitar as oportunidades.”

Centroavante

A disputa pela camisa 9 permanece, e o treinador explicou: “Nós estamos conhecendo os jogadores e ainda não posso falar do nível deles. Estão trabalhando bem. Temos opções para ver se dá certo. Os próximos jogos vão falar. O importante é que podemos trabalhar, dar continuidade aos treinos para falar com mais propriedade.”

Gonzalo Carneiro

“Eu não sei exatamente se vai fechar. Falam de muitos nomes, ele é um deles. É um bom jogador, um excelente jogador. Se acertar com o São Paulo, pode ajudar muito, seguramente”, ao que consta ele está próximo de fechar com o São Paulo, inclusive postou foto com o Lugano nesta quinta-feira (22).

Liziero

“O Liziero foi uma opção que consideramos também por informação do Jardine. Mostrou que tem capacidade de jogar no São Paulo. Logicamente que um jogador que joga com a camisa do São Paulo, não só o Bordeaux, mas todos os times do mundo podem querer.”

Jardine

“Fiz umas mil perguntas para Jardine, de todos os jogadores… Estamos tendo uma experiência juntos… muito boa”

E ao ser perguntado sobre a ‘cena’ que ele e Jardine conversaram bastante em Alagoas, gesticulando e tudo mais, o técnico uruguaio revelou: “Sim. Eu sabia que a televisão estava pegando, era só teatro (risos).”

Méritos para o Jardine

Na coletiva após a vitória contra o São Caetano, Aguirre deu créditos para o Jardine sobre a entrada do Lucas Fernandes e explicou: “Simplesmente falei a verdade. Ele está ajudando muito, principalmente com informações da base. Na hora de fazer as substituições, Jardine falou que Lucas tem personalidade, pode ajudar. Eu confiei nele. E depois é justo reconhecer que ele ajudou o time com essa mudança. São coisas normais, somos uma equipe de trabalho. Todos tem que fazer o melhor para que o São Paulo esteja bem.”

Elenco

“Pegamos muitas informações e sabemos que o momento é difícil, onde os resultados esportivos não são os que o São Paulo tem que ter. O clube está com pressão de conquistar coisas, o que é normal. É um clube muito grande para não ganhar. Dos jogadores não posso dar opinião definitiva porque tenho poucos treinos com eles. Os jogos são fundamentais, eles precisam mostrar, aproveitar cada oportunidade. Talvez, algum jogador podemos incorporar onde veja que temos necessidade. Ainda é cedo par tirar conclusões.”

Rodízio

“É uma loucura aqui no Brasil, podemos jogar 90 partidas no ano. Tem que fazer (rodízio). Tem fisiologia, preparação física… Alguns jogadores não podem jogar tanto. Valdivia jogou quinta, domingo e terça se machucou. O esforço é tão grande que precisa cuidar, ter responsabilidade, para ter os jogadores em máximo rendimento. Eu gosto de ter mais do que 11 jogadores, ter opções… Depois é uma competição normal entre eles. Todos tem de estar motivados e sentir-se perto de jogar. Não só eu faço isso. As equipes grande e importantes do mundo mudam jogadores. Isso não tem de surpreender. São coisas planejadas, estudadas, que nós achamos o melhor para o time ganhar cada jogo.”

Vaias da torcida

“São coisas normais. Normal o torcedor estar impaciente porque faz muito tempo que o time não ganha. Time com a história do São Paulo tem que ganhar. Os mesmos que vaiaram aplaudiram no final do jogo. É o futebol. Se o time responde e ganha, seguramente estarão felizes. Eu compreendo muito o torcedor porque ele está sofrendo.”

“Eu teria, claro, porque o Valdívia estava jogando bem. Mas o que eu posso fazer se o jogador pede para sair (risos)”

A participação completa:

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: