Aguirre explica escolhas, lamenta eliminação e evita falar ponto positivo: “Não gosto de perder e não vou falar de nenhuma coisa positiva hoje”

(Foto: Reprodução)

O técnico Diego Aguirre conversou com a imprensa após o empate em 2 a 2 com o Atlético-PR que ocasionou a eliminação do São Paulo na quarta fase da Copa do Brasil 2018.

Jogo

“Fizemos dois gols, e depois o pênalti, uma situação exilada, que mudou o fator psicológico, que talvez descemos um pouco, e no segundo tempo tiveram momento para os dois times, foi bastante aberto, podíamos ter marcado algum gol mais.”

Eliminações

Sobre o peso das eliminações recentes do São Paulo, o treinador falou: “Isso são dados da realidade, mas eu não posso pensar que isso influência. É uma coisa que acontece e temos que cortar e reverter essas situação. É trabalhando e olhando para frente. É uma eliminação que dói muito, porque trabalhamos muito para o jogo e tivemos a ilusão, porque chegamos muito perto”.

Ponto positivo

“Eu não vou falar nenhuma coisa boa, porque eu queria classificar. Temos que assumir que foi um fracasso. Somos grandes e temos que ganhar campeonatos. Temos que colocar isso. Não gosto de perder e não vou falar de nenhuma coisa positiva hoje”.

Segundo tempo

Com um primeiro tempo produtivo, e uma segunda etapa que deixou a desejar para a maioria, Aguirre comentou negando a queda na etapa complementar: “Eu não concordo. No primeiro jogo fomos melhor no segundo tempo. São condições de jogo condicionadas por situações de jogo. Tem muitos fatores a favor e contra que condiciona o jogo, e tentamos manter uma regularidade. Às vezes enfrentamos equipes que jogam bem e tem seus momentos no jogo”, ressalto que no primeiro jogo contra o Atlético-PR foi ao contrário, primeiro tempo pior que o segundo…

Escolha pelo Militão

O lado esquerdo são-paulino teve problemas no jogo, e Aguirre explicou a escolha pelo Militão por ali: “Militão para hoje era a melhor opção para jogar ali e fazer um bom jogo como jogou. Fechou bem o lado que o Atlético ataca muito bem”, ressaltando que foi a melhor opção que eles acharam para esse jogo.

Má fase de atletas

“Teremos que buscar as soluções com os jogadores que temos. Mas não é momento de falar de ninguém de forma individual. Agora temos que ficar juntos, olhar para frente e responsabilizar todos pela derrota. Temos que estar calmos e não chegar em uma situação de nervosismo”.

Apoio da torcida

Em horário ruim, o torcedor compareceu em 27 mil pessoas, Aguirre elogiou o torcedor: “Eu não senti a torcida contra. Eles estavam felizes quando estávamos ganhando. Não tenho nada para falar da torcida. A torcida hoje foi bem e sentimos o apoio. Quando não estávamos bem eles ficaram tristes”.

Trabalho do adversário

“Eles são entrosados, muito trabalho. Gosto do estilo deles. Um estilo muito válido, porque tentam sempre jogar. Em alguns momentos também superamos eles, eles têm jogadores de qualidade. Às vezes um detalhe, como o pênalti, mudou um pouco o curso do jogo. Estava controlado, não tínhamos sofrido. Marcamos dois e estávamos perto de conseguir mais. E isso influenciou”.

Éverton e Carneiro

Sobre o Éverton, Aguirre falou: “Não pensei nada para o jogo de domingo. Vamos saber amanhã. Ele (Everton) vai estar conosco e teremos que decidir entre amanhã e sábado. É um reforço muito bom e vamos contar com ele”.

E também falou sobre Gonzalo Carneito, seu compatriota: “É um jogador muito bom que está se recuperando e está se preparando para o futuro imediato que pode ajudar muito se estiver bem, mas precisa de tempo para jogar”.

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe um comentário