Entenda como São Paulo pode montar elencos competitivos com pouco dinheiro

Julio Casares completou 1 mês de gestão (Imagem: SPFCTV/Divulgação)

O São Paulo começa a se aproximar de novos tempos. Tempos que serão difíceis no seu início, para que no futuro a médio prazo a situação comece a melhorar.

De todas as reformulações já vistas no Morumbi, essa deverá ser a mais severa, pela urgência financeira que necessita que esse processo seja feito rapidamente, e também pela falta de resultados esportivos nos últimos anos, que lesa o clube, tanto no âmbito financeiro, quanto na questão de sua imagem, que se arranha muito perante à opinião pública.

Nesse cenário, o São Paulo terá que remodelar o seu departamento de futebol para se adequar à realidade financeira do clube nessa atual fase da sua história. Mas, a grande pergunta que se faz nas redes sociais e nas ruas de São Paulo é a seguinte: “Como o São Paulo pode disputar títulos se não tem dinheiro para investir?”

Existem alguns recursos que o São Paulo pode adotar para atingir a competitividade nos torneios que disputar, sem deixar de reduzir as dívidas. Nesse texto serão listas as principais atitudes a serem tomadas.

Sondar jogadores em mercados emergentes
O Brasil tem a moeda mais forte da América do Sul e também de boa parte da América Latina. Muitos países tem ligas onde existem bons jogadores. Mesmo com as negociações sendo baseadas em Dólar ou Euro, é possível buscar bons atletas nos países vizinhos por valores menores do que trazer jogadores de países como Portugal e México, por exemplo. É possível que exista na Colômbia um jogador tão bom quanto o que o clube deseja e esteja observando em Portugal, só que mais barato.

Usar moedas de troca
O São Paulo tem jogadores que não conseguem entregar futebol quando recebem oportunidade, mas que podem ter características que seriam úteis em outros clubes. A diretoria pode usar esses jogadores para trazer outros e abastecer posições carentes no elenco, como aconteceu na troca entre Éverton Cardoso e Luciano com o Grêmio.

Contratações por empréstimo
É uma ferramenta reprovada por muitos torcedores por ter seus riscos, como o caso do jogador atender as expectativas e o clube não ter dinheiro para comprar depois. Mas, também é uma alternativa muito viável para ter bons jogadores com custo muito baixo, pelo menos enquanto as finanças estão desequilibradas.

Analisar jogadores em final de contrato
Existem muitos exemplos de jogadores que passam um período sem clube para jogar, e quando assinam com algum, apresentam rendimento satisfatório. Muitos clubes deixam de contratar bons jogadores por não terem dinheiro para arcar com multas rescisórias, lhes restando somente aguardar o final do contrato dos atletas para assinar um vínculo com eles. Para isso, é importante a Análise de Desempenho do São Paulo esmiuçar o mercado de maneira minusciosa para captar jogadores que poderiam chegar com custo zero.

O departamento de futebol do São Paulo vai ter muito trabalho, mas é perfeitamente possível ser competitivo e barato ao mesmo tempo.

Caio Felix
[email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.