27 de março: O dia em que Rogério Ceni fez história diante do Corinthians

Rogério marcou 131 gols em sua carreira. Apenas 3 contra o Corinthians, mas um deles foi mais do que especial. (Foto: Wander Roberto/VIPCOMM)

O São Paulo venceu a primeira partida semifinal do Campeonato Paulista diante do Corinthians. Jogando no Morumbi, o Tricolor triunfou por 1 a 0 e abriu vantagem para o confronto decisivo da próxima quarta-feira (28) no estádio do rival. Em meio aos clássicos contra a equipe alvinegra, um momento especial na história dos são-paulinos completa exatos sete anos nesta terça-feira. Em 27 de março de 2011, Rogério Ceni marcava o centésimo gol de sua carreira justamente contra o Corinthians.

A partida que se tornou histórica não ocorreu no Morumbi. O palco foi a Arena Barueri, no município de mesmo nome nas proximidades de São Paulo. Aos 8 minutos do segundo tempo, com o placar já apontando 1 a 0 para o Tricolor, gol de Dagoberto, o volante Ralf fez falta em Fernandinho na região esquerda próxima da área corintiana.

De prontidão, a torcida são-paulina pediu por Rogério Ceni para a cobrança do tiro livre. O Mito atendeu. Foi até a bola, ajeitou com carinho, conversou com Carlinhos Paraíba, respirou fundo, colocou as mãos na cintura, esperou pelo apito do árbitro e partiu para a cobrança…

Por alguns segundos o coração do são-paulino parou de bater. (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)

Apenas quatro dias antes, no dia 23 de março, Rogério havia marcado o gol de número 99 em sua carreira. Diante do Paulista, em Jundiaí, o goleiro artilheiro deixou o dele, mas não pôde evitar a derrota do Tricolor por 3 a 2.

 

O jogo seguinte era o clássico Majestoso. E não era um clássico qualquer. Há quatro anos sem desbancar o Corinthians, o São Paulo acumulava 11 partidas de jejum diante do rival.

Válido pela 16ª rodada da primeira fase do Paulistão daquele ano, o jogo representava a chance de reagir após a derrota para o Paulista e também de quebrar essa longa sequência indigesta. Pressão em dobro.

No primeiro tempo do clássico, pouco futebol. Muitas faltas, nervosismo e jogo truncado marcaram o início do duelo. Aos 39 minutos, o primeiro lance de perigo da partida resultou em gol. Dagoberto acertou belíssimo chute de fora da área e abriu o placar em Barueri.

O segundo tempo começou com o Corinthians pressionando. Aos 2 minutos, ótima defesa de Rogério Ceni em tentativa de Jorge Henrique. Mas o destino estava selado. Seis minutos depois, o lance que se eternizou para sempre na história do clássico.

Cobrança de falta que passou pela barreira, tocou nos dedos de Júlio César e morreu nas redes do gol corintiano. Era o centésimo gol da gloriosa carreira do Mito. E tinha que ser diante do maior rival do Tricolor. Após o gol, festa na Arena Barueri, Rogério tirou a camisa, fogos, mensagem no painel eletrônico do estádio. Tudo para celebrar a marca histórica do maior ídolo são-paulino de todos os tempos.

 

Nem o gol de Dentinho foi suficiente para estragar a festa. A partida, que ainda contou com três expulsões, duas do lado corintiano, acabou 2 a 1. O atacante Liedson ainda teve a chance de empatar o jogo nos minutos finais, mas, novamente, Rogério Ceni brilhou com uma ótima defesa. Não tinha jeito. Aquela era a tarde do Mito.

Sete anos depois

Em 2018, São Paulo e Corinthians encontram-se novamente envolvidos em partidas do Campeonato Paulista. Desta vez pela semifinal da competição. No primeiro jogo, o Tricolor também encerrou um longo tabu (assim como em 2011), ao vencer o rival e colocar fim a 16 anos sem triunfar no clássico em fase mata-mata de qualquer competição.

Quarta-feira, na Arena Corinthians, o Tricolor tenta sacramentar a eliminação do rival, algo que não acontece desde 2000, e de quebra chegar a final do Campeonato Paulista após longa espera.

Rogério Ceni há algum tempo já não é mais o goleiro do São Paulo. Foi brevemente o técnico, mas as coisas não caminharam como ele gostaria. Atualmente é o treinador do Fortaleza. No entanto, mesmo não estando mais presente no dia a dia do Tricolor, seus feitos representam muito na história do clube e continuam a ser lembrados.

Amanhã, dia 28 de março, o São Paulo pode fazer história caso consiga a classificação para a final do estadual. A primeira vista, algo pequeno se comparado aos feitos gloriosos do clube, mas que pode significar o reerguimento da equipe em inúmeros aspectos.

E para que esse recomeço seja possível, será necessário triunfar diante do Corinthians, o mesmo adversário no qual Rogério Ceni escreveu um dos capítulos mais memoráveis de toda sua trajetória.

Rogério Ceni comemora com a torcida após vitória em cima do Corinthians. (Foto: Reprodução)

Você se lembra de onde estava no centésimo gol de Rogério Ceni? Deixe seu comentário!

Álvaro Logullo

Avatar

Álvaro Logullo

21 anos, estudante de jornalismo e devoto do São Paulo FC. Filho, neto, irmão e sobrinho de são-paulinos. Apaixonado por estádios de futebol, pretendo ir a todos os jogos do Tricolor, no Morumbi, em 2018. Porque se a fase é ruim, o amor é eterno!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.