Muricy avalia São Paulo, dá dicas para Jardine e diz que não foi convidado nem para um café pela diretoria

(Foto: Reprodução | Globoesporte.com)

O atual comentarista, Muricy Ramalho, conversou exclusivamente com o globoesporte.com, respondeu internautas e falou sobre a má fase do São Paulo neste início de 2019.

Sempre cogitado no São Paulo, Muricy revelou sobre a diretoria são-paulina: “Eu não recebi convite nem para tomar café, a verdade é essa. Acho que minha opinião é muito ruim para eles”.

Aposentado como técnico, Muricy diz que não pretende voltar a trabalhar como treinador, mas já deixou claro que aceitaria um cargo como coordenador: “Depois que parei com o futebol fui a Barcelona, queria saber o sucesso, ver a parte administrativa e me animei um pouco. Só que passou o tempo e tive o convite do SporTV, de uma novidade para mim. Mas os caras me deixaram tão à vontade que estou gostando. Eu gosto das pessoas, para me sentir bem, eu tenho de gostar das pessoas. Estou feliz aqui agora. Não sei (sobre retorno ao São Paulo). Nesse momento não vejo uma situação de voltar agora porque não tive nenhum sinal de nada, de um abraço, ninguém fala nada. Só nos resta torcer para melhorar. Treinador não quero mais, já fiz minha parte. Agora eu posso ajudar perto do técnico, não perto da diretoria, perto do campo.”

CONFIRA: A entrevista exclusiva e completa do Muricy Ramalho para o globoesporte.com

Avaliando o Jardine na derrota do São Paulo para o Talleres na Argentina, Muricy disse: “Nesse último jogo na Argentina, o Jardine se perdeu um pouco, Aquilo é coisa de treinador que está apavorado. Não é crítica, não, mas ele precisa passar por isso”.

Muricy Ramalho que criticou bastante o São Paulo durante a transmissão do SporTV na partida contra o Talleres, revelou sobre o jogo de volta: “Tem que mudar o estilo de jogo e as peças. Não está respondendo. O São Paulo não está ganhando e não está jogando bem. Esses últimos dois jogos foi duro de ver o São Paulo jogar. O discurso é muito legal, mas quando vai para a prática o que a gente ouve a gente não vê. O São Paulo tem que mudar completamente porque precisa ganhar o jogo.”

Conhecedor do Morumbi, o ídolo são-paulino comentou: “O Morumbi, a Libertadores, é um outro campeonato. A torcida do São Paulo é totalmente diferente, vai empurrar, não tem como os jogadores não sentirem isso. E outra: jogar em time grande tem que ser pressionado mesmo, para o cara se reinventar, não se acomodar.”

O futuro de Jardine na avaliação do Muricy Ramalho é perigoso, ele comentou: “Ela é difícil (a situação do Jardine). Não adianta aqui dizer que não, que está tudo certo. Ele sabe mais do que nós. E eu sei como funciona lá dentro. Tem o chá da tarde que é duríssimo, que derruba treinador. O Jardine sabe disso. O que acho é que a diretoria, lá no começo, tinha que ter mais convicção. O São Paulo está perdendo um grande formador de jogador. Se ele sair, vai perder. Tinha que ter um pouco mais tempo lá.”

Ainda avaliou que o jovem técnico André Jardine não está seguindo suas convicções como apostar na velocidade e base: “O Jardine tem um pensamento, mas esse pensamento não vai pra campo. Ele gosta de um time rápido, mas o São Paulo é um time lento. Ele gosta de posse de bola, mas o São Paulo é um time que passa mal. Ele gosta de time compactado, mas o São Paulo está muito espaçado. O discurso não está indo para a prática. Ele tem de resolver isso. Tem de resolver como vai jogar. Se quer ser um time rápido, tem de colocar os meninos, o Helinho, o Antony. Eu sinto que ele não está satisfeito, ele está incomodado. A pior coisa para o treinador é quando ele é mandado embora e sai com a sensação de que saiu sem fazer as coisas que gostaria. O treinador fica ensandecido. Por isso eu falo para ele, “faça o que você tem que fazer”.

Mesmo que com ‘controvérsias’, Muricy lançou Hernanes de vez para o futebol, e falou sobre o Profeta em 2019: “Hernanes não está no auge, dá pra perceber. No jogo na Argentina, ele jogou de meia, e ficou muito de costas. Daí ele não se sente bem. Nesses últimos jogos ele não pisou na área. Se for jogar de meia, tem de entrar na área, pro Pablo não ficar sozinho, isolado. Se o time está precisando de velocidade, de profundidade, a bola tem de começar com Hernanes. O São Paulo está jogando com dois volantes de passe curto, aquele passe para o lado. O passe tem de ser do Hernanes. A bola não chega nele. Tem que ter uma conversa com o Hernanes, ele é um cara mentalmente perfeito, fisicamente muito forte, pode jogar em qualquer lugar.”

A previsão do ex-técnico são-paulino para o jogo de volta contra o Talleres nesta quarta (13) é a seguinte: “Eu acredito. Primeiro porque o jogo é no Morumbi. A torcida adora a competição. E o adversário não é nada disso. Mas é um time argentino que está com 2 a 0 na frente. Basquete quando você está 20 pontos atrás, não dá para tirar numa cesta. Tem que fazer um gol de cara, depois outro. Se não, começa a se apressar e pode ter uma surpresa. O São Paulo vai ter que se arriscar, mas não desorganizado. Não é pressa. É organizado, mas intenso.”

Ainda deu sua sugestão de preleção antes da partida decisiva na 2ª fase da Copa Libertadores 2019: “Seguinte, moçada, se a gente não ganhar, eu vou cair e vocês vão ser mandado embora daqui a pouco. Então temos de ganhar o jogo. Essa é a realidade. Põe a bunda no chão, tem que ser forte, tem que ganhar tudo, eles não podem jogar mais que o São Paulo no Morumbi. Aqui para ganhar da gente, tem que fazer história. Eu vou estar lá, vou comentar, vou estar torcendo, mas tem que dar um pouco a mais.”

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: