[EXCLUSIVO] Atletas são-paulinos revelam o que lenda Kobe Bryant lhes representa

Por Fábio Martins (@fbiomartins1)

Reprodução SPFC Basquetebol

Neste domingo (26) a notícia da morte do ex-jogador de basquete, Kobe Bryant, chocou o mundo do esporte. As redes sociais receberam inúmeras mensagens em homenagem a lenda do basquetebol americano, e mundial.

Entre as postagens de homenagem dos atletas são-paulinos que disputam o NBB nesta temporada de 2019-20, conversamos com alguns deles sobre a representatividade de Kobe Bryant para a carreira de cada um.

A maioria cresceu no basquete assistindo Kobe em quadra, como relatou com exclusividade para o ‘SPFC 24 Horas’, o ala-pivô Jefferson William: “O Kobe pra mim representa inspiração com sua jogadas lindas seu estilo de jogo. Ele marcou minha geração me influenciou a jogar e como ser competitivo. Sua mentalidade a momento adversos era incrível. Obrigado Kobe”.

Um dos mais comovidos pela morte do ídolo, o armador Igor Araújo ressaltou: “Como todos os fãs esporte eu estou sem saber o que dizer, por muito tempo não vamos acreditar no que aconteceu hoje. Um dia muito triste para o esporte. Acho que todos nós que jogamos e gostamos de basquete temos o Kobe como inspiração, tudo o que esse cara fez nas quadras e o quanto ele trabalhou para chegar onde chegou nos empurra e nos faz acreditar que é possível tornar um sonho realidade. Este é o teu legado, e eu vou levar isso comigo a vida toda””

O compatriota de Kobe, Desmond Holloway falou brevemente em rápida conversa com o portal: “Kobe significava parte de mim, meu ídolo desde a infância. Esse acontecido realmente dói muito”.

Outro atleta são-paulino que respondeu sobre a importância de Kobe Bryant foi o experiente pivô Murilo Becker, que inclusive enfrentou o astro americano: “Um dia muito triste para nós amantes do basquete. Para quem teve oportunidade de ver o Kobe jogar, nós recebemos a notícia quando estávamos arremessando, antes de começar o treino. Todo mundo sentiu muito por aqui. Eu tive a oportunidade de jogar contra o Kobe, de ver o Kobe ao vivo, de estudar um pouco a vida dele, da forma que ele treinava. Todos os jogadores de basquete que viram o Kobe jogar, de alguma forma se espelharam nele, e a gente sentiu muito, está triste por isso. Agora é orar pela família, pelas pessoas mais próximas, nesse momento tão difícil”.

Para a ESPN Brasil, outro compatriota de Kobe, Shamell também falou sobre a morte do ídolo: “Acho que foi um dos dias mais tristes, fui para o vestiário e fiquei bem triste. Ele foi muito importante pra mim e pra minha carreira. Tudo que ele fez eu quero fazer também. Não sou o Kobe Bryant, mas tenho a mentalidade dele. Eu não acredito. Eu usei o número 24 por causa dele, eu uso a 8 por que ele usava a 8. É difícil, não dá pra acreditar”.

Conversamos com outros atletas do basquete são-paulino, mas até o fechamento desta matéria, não responderam sobre. Assim que for feito, atualizaremos a matéria, como caso do Renan Lenz que pretende enviar um relato.

Neste ritmo de luto, o São Paulo volta a quadra pela NBB nesta segunda-feira (27) para enfrentar o time de Franca às 20 horas no Ginásio do Morumbi.

Facebook: SPFC 24 Horas

Instagram: @spfc24horas

Twitter: @spfc24horas_

Fábio Martins

Fábio Martins

Formado em jornalismo, ADM do SPFC 24 Horas desde 2012 e principal responsável pelo site e redes sociais desde 2014. Twitter: @fbiomartins1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.