Dia do goleiro! A posição que faz parte da história do Tricolor

Em toda a sua história, o São Paulo teve grandes goleiros mas em especial aqueles que deixaram sua marca na história do clube, é de alguns deles que falaremos nesse 26/04…

  • Rogério Ceni:
(Foto: Reprodução)

Considerado por muitos o maior goleiro da história do São Paulo e do futebol brasileiro, Rogério Ceni é também um ídolo para muitos torcedores. Carinhosamente apelidado de Mito, o ex arqueiro ganhou tudo com a camisa tricolor, além disso, o excelente batedor de faltas e pênaltis é o jogador que mais entrou em campo pelo clube.

Recebeu por seis vezes a Bola de Prata, prêmio ao melhor jogador da posição durante o Campeonato Brasileiro, e no ano de 2008, além do troféu de prata, recebeu a Bola de Ouro como o melhor jogador do Campeonato Brasileiro. Rogério Ceni é o segundo jogador mais premiado do prêmio Bola de Prata na história do futebol brasileiro, atrás apenas de Zico.

Rogério entrou três vezes na lista dos dez melhores goleiros do mundo, elaborada anualmente pela Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol. Foi indicado ao prêmio Bola de Ouro, da revista France Football, em 2007, sendo o primeiro jogador atuando na América do Sul a concorrer ao prêmio.

No dia 7 de setembro de 2011, Ceni fez seu milésimo jogo pelo São Paulo, no qual venceu por 2 a 1 o Atlético Mineiro.

Em 27 de março de 2011, Rogério Ceni alcançou a marca de cem gols na carreira no jogo válido pelo campeonato paulista contra o Corinthians, jogo no qual acabou 2×1 para o tricolor paulista.

Em 20 de abril de 2014, o goleiro recebeu três certificados do Guinness, o livro dos recordes, como jogador que mais vezes atuou e foi capitão de um mesmo time na história do futebol. Ganhou a oficialização como jogador que mais vezes atuou por um mesmo time na história do futebol mundial, onde atuou por 1.139 e o certificado de jogador que mais foi capitão de um mesmo time com 888 partidas. O Guinness também apurou recorde de gols que indica 117, o máximo já anotado por um goleiro.

Maior goleiro artilheiro do mundo, campeão mundial com a Seleção Brasileira, bicampeão mundial e da Libertadores, tricampeão brasileiro, capitão de tantas glórias e um líder enquanto jogava pelo clube.

Deixou os gramados em 11 de dezembro de 2015, uma noite memorável no coração de milhões de torcedores que acompanharam seus 25 anos de dedicação pelo clube. História que começou em 1990, aos 17 anos, nas categorias de base do Tricolor, e logo extrapolou os limites do Morumbi para bater grandes marcas e colecionar recordes.

  • Zetti:
(Foto: Reprodução)

Foi revelado pelo Palmeiras, mas isso não impediu Zetti de no tricolor marcar seu nome. Chegou ao São Paulo em 1990, porém o clube tinha Gilmar, goleiro titular da equipe naquela época. Por causa disso, Zetti ficou na reserva durante alguns meses. Sua estreia pelo tricolor foi em 15 de julho do mesmo ano em um amistoso contra o Pouso Alegre. Passou a ser o goleiro titular da equipe depois da saída de Gilmar e no ano seguinte começaria a fase mais vitoriosa da sua carreira como jogador. Durante sua passagem pelo São Paulo FC, o goleiro realizou 432 jogos, e conquistou 13 títulos ao todo. Entre os principais deles, estão o Bicampeonato mundial (1992 e 1993), o Bicampeonato da Copa Libertadores da América (1992 e 1993), e o Bicampeonato da Recopa Sul-Americana (1993 e 1994). Zetti foi o quarto goleiro que mais defendeu o Tricolor na história.

Seu bom desempenho como goleiro do São Paulo fez com que a Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS) o elegesse o quinto melhor goleiro do mundo em 1993

  • Waldir Peres:
(Foto: Reprodução)

Um ícone da história do tricolor paulista, que defendeu o clube por 11 anos (1973-1984), e disputou 617 partidas com a camisa do São Paulo FC. Além disso, conquistou quatro títulos com o clube, sendo uma edição do Campeonato Brasileiro (1977), além de três edições do Campeonato Paulista (1975, 1980 e 1981). Era especialista nas defesas de pênalti. Foi titular da Seleção Brasileira na Copa de 1982, integrando a equipe que mesmo não tendo sido campeã, foi considerada a melhor do mundo.

  • José Poy:
(Foto: Reprodução)

O goleiro argentino, que começou sua carreira no Rosário Central, chegou ao clube no ano de 1948. Entre os 14 anos em que jogou no tricolor paulista, disputou 565 partidas, e conquistou quatro edições do Campeonato Paulista (1948, 1949, 1953 e 1957). Seu grande desempenho como goleiro do São Paulo FC chegou a render especulações para a seleção brasileira de 1954. A imprensa pressionou, os dirigentes chegaram a consulta-lo sobre a eventual naturalização, mas acabou não dando certo. Além do sucesso como jogador, também foi treinador do clube, e conquistou o Campeonato Paulista do ano de 1975.

Fora dos gramados, o goleiro teve grande importância para o São Paulo, clube do qual ainda é ídolo. Ajudou a construir o Estádio do Morumbi, vendendo títulos de cadeira cativa, a principal fonte de renda para a obra até 1968

  •  King:
(Foto: Reprodução)

Nivancir Innocêncio Fernandes, mais conhecido pelo torcedor como King, foi o primeiro goleiro do São Paulo a formar o paredão. King foi uma das primeiras estrelas do São Paulo após sua refundação, em 1935. Chegou em 1936, aos dezenove anos, e estreou pelo Tricolor em 25 de janeiro de 1936. Disputou 203 partidas com a camisa tricolor, e conquistou três títulos, os Campeonatos Paulistas de 1943, 1945 e 1946. Teve ótima participação no time campeão paulista de 1943. Esse título marcou a consolidação do SPFC como grande clube. Foi um título no qual só os são-paulinos acreditavam. Os rivais zombavam, lembrando o jogo da moeda: “se der cara, diziam eles, ganha o Palmeiras; e se der coroa, ganha o Corinthians. O São Paulo só ganhará se a moeda cair em pé”. Pois ela caiu, graças, também, as ótimas defesas de King.

  • Gilmar:
(Foto: Reprodução)

Em 1985, transferiu-se para o São Paulo, aonde logo se firmou na posição de goleiro titular. Naquele mesmo ano, sagrou-se campeão paulista e, um ano mais tarde, conquistou seu primeiro Campeonato Brasileiro, em uma final emocionante, contra o Guarani.

O gaúcho Gilmar tinha uma característica que o diferenciava: era líder. Dentro do campo, orientava o time como ninguém, dando bastante tranquilidade principalmente para os defensores. Como tinha uma cultura acima da média e se expressava articuladamente, era muito procurado para entrevistas, e nelas sabia se valorizar e valorizar o São Paulo. Gilmar Rinaldi defendeu o São Paulo em 253 jogos.

Além dos grandes goleiros, o São Paulo FC teve goleiras que representaram a camisa. Umas delas é a atual goleira do time feminino.

  • Carla: 
(Foto: Reprodução)

Chegou ao Tricolor Paulista no início de 2019, quando foi retomado o futebol feminino profissional no clube. Antes de assinar com o time do Morumbi, Carla se destacou com a camisa do Grêmio.

Carla foi um dos principais nomes da campanha do título do Campeonato Brasileiro Série A-2 e do vice-campeonato do Paulistão, sendo titular em grande parte da temporada.

Foi titular em 25 jogos do São Paulo em 2019, com boas partidas chegou a ser convocada para a seleção brasileira. Nesses 25 jogos, a jovem goleira sofreu apenas 20 gols, menos que um gol por partida. A goleira conta com muita agilidade para fazer boas defesas.

 

https://www.instagram.com/accounts/login/

 

Lara Musa

Torcedora do São Paulo e amante de esportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.