Crespo prepara um “novo” São Paulo para a volta dos jogos pós Eliminatórias

(Foto: GE.globo)

A pausa no calendário das competições nacionais para alguns times devido aos jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo está sendo benéfica. Um dos clubes que pode usufruir dessas benesses é o São Paulo. Contudo, como isso pode realmente ajudar no andamento do Tricolor para o resto da temporada? Esta é uma pergunta que assume um ar inquietante e, ao mesmo tempo, otimista para o torcedor. Afim de respondê-la, temos que dividir o trabalho de Hernán Crespo em três fases. Explico:

“Onde as pernas não chegarem​ irá chegar o coração”. Esta frase dita pelo técnico em sua chegada ilustra o que abriu a primeira fase. Estampada no vestiário, em faixas nas arquibancadas e até camisas, ela moveu o time para uma arrancada que culminou na conquista da taça do campeonato paulista desse ano. Ali, Crespo montou um São Paulo com fome, que lutou até o último minuto focado e concentrado. Marcação alta e pressão na bola na saída do adversário, passes incisivos no ataque, viradas providenciais de jogo, tudo isso eram traços marcantes durante os jogos; por isso sagrou-se campeão findando uma fila incômoda de títulos que durava nove anos.

Atualmente

A segunda fase é a atual e, por assim dizer, a mais difícil. Ela começou com um Brasileirão tenebroso. O pior início da história do clube. Aqui, nem o coração e muito menos as pernas deram conta de chegar. Crespo teve seu trabalho dizimado por conta das infinitas lesões. Não conseguiu repetir uma escalação e nunca teve o time todo à disposição. Devido a maratona de jogos mal conseguira treinar. O reflexo disso era visto em campo nas sucessivas falhas, por exemplo, de jogadas aéreas defensivas, pouca variação tática e erros técnicos de alguns jogadores.

(Foto: Reprodução)
O futuro

A terceira fase, o futuro, começa​ na verdade agora. A convocação de Miranda e Daniel Alves trouxe mais alento do que desesperança para o clube e seus torcedores, pois graças a isso foi possível ter uma coisa que vale mais que ouro nessa temporada do futebol brasileiro: tempo. Esse fato caiu como uma benção para a comissão técnica são-paulina. Assim, o técnico argentino está conseguindo ter, pela primeira vez, a sua equipe completa para treinar. Inclusive, contando com os novos reforços que chegaram, são eles o meio campista Gabriel Neves e o atacante Jonathan Calleri.

(Foto: bolavip)

O torcedor são-paulino pode e deve ficar otimista. Então dá para brigar por título? É difícil dizer, já que​ na Copa do Brasil – torneio que está nas quartas de final – mesmo passando pelo Fortaleza, existem times com elencos mais equipados, vide Atlético Mineiro e Flamengo. Entretanto, é fácil afirmar que será um time com a cara do seu treinador. Isso significa um São Paulo competitivo, marcando com intensidade e bem mais agudo nas construções ofensivas. Podemos ratificar essa afirmação quando olhamos lá atrás, no campeonato paulista, onde numa parada semelhante a essa, o time de Hernán Crespo voltou muito melhor. Essa terceira fase do Tricolor do Morumbi promete ser bem interessante.

Como se diz hoje: a ver.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: