105 anos de um craque inesquecível

(Foto: Divulgação)

Setembro é um mês com várias datas memoráveis, e dia 06, uma lenda do futebol completaria 105 anos, caso estivesse vivo.

O carioca Leônidas da Silva, centroavante de pura habilidade e uma grande velocidade, o jogador teve passagem pelo Peñarol, Vasco, Botafogo, Flamengo, e seu ápice na carreira foi pelo nosso São Paulo Futebol Clube.

Durante sua participação da copa de 1938, seu carisma e talento, conquistou o mundo, tendo sua popularidade comparada ao do presidente Getúlio Vargas na época, teve também uma canção feita em sua homenagem por Nelson Petersen e interpretada por ninguém menos que a pequena notável “Carmen Miranda”, e o seu apelido “Diamante Negro” surgiu durante esse período também, reza a lenda que foi o jornalista Francês Raymond Thourmagen quem o criou.

Após sua saída do Flamengo, em 1942, mesmo estando em baixa, o São Paulo o contratou, para ser mais exata sua contratação foi bancada pelo ilustre Doutor Paulo Machado de Carvalho, e saiu por 200 contos de réis (+/- 24 milhões de reais), e foi considerada a maior transação do futebol sul-americano.

O investimento no jogador se tornou uma preocupação, porém em sua estréia no dia 25 de maio, contra o Corinthians, em um Pacaembu lotado com quase  72.000 pessoas (recorde que se mantém até hoje), Leônidas mostrou que faria jus ao valor pago pelo seu passe. E foi nessa partida em que o lance que marcou sua trajetória aconteceu, a “famosa bicicleta” resultando em gol e levando os torcedores presentes ao delírio com sua pintura em campo.Existe uma grande polêmica que envolve a famosa “bicicleta”, muitos o consideram como inventor, outros apenas como executor, independente dessa questão, é inegável que Leônidas da Silva foi um grande divulgador desse lance.

Seus números pelo Tricolor são expressivos, 211 partidas, e 144 gols, o que lhe faz ser o sétimo maior artilheiro do clube, foi pentacampeão paulista em 1943, 1945, 1946, 1948, 1949, e também foi uma peça fundamental para expansão do time no cenário nacional do Futebol.

Você deve estar achando engraçado um jogador ter um apelido que na verdade é o nome de um chocolate, acertei?

Se a resposta foi sim, para iniciar a explicação já digo é o apelido do jogador, que na verdade virou o nome do chocolate. A Lacta em 1938, criou o primeiro chocolate crocante do país, com o nome de “chocolate ao leite com crocante”, devido a grande popularidade do jogador naquele ano, a empresa de chocolate resolveu em uma grande jogada de marketing modificar o nome do chocolate para “DIAMANTE NEGRO” e consequentemente se beneficiar do sucesso do jogador, lucrando com vendas.

Oficialmente, pendurou as chuteiras no final de 1949, entrando em campo outras vezes em jogos comemorativos, mas não se distanciou do futebol, acabou se tornando um grande comentarista, ganhando por isso sete prêmios Roquete Pinto.

No dia 24 de janeiro de 2004, Leônidas da Silva nos deixou, devido complicações do mal Alzheimer, entrando para eternidade, e será sempre lembrado pelo seu talento, sua magia inspiradora em campo e principalmente por ser o maior difusor do futebol como tipicamente um esporte brasileiro.
?? Tathiane Marques

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.