Com desempenho inferior ao esperado São Paulo briga pelas primeiras posições do Brasileirão

Notsas: Foto: Marcos Ribolli
Foto: Marcos Ribolli

Tricolor disputa as primeiras posições do campeonato, mesmo sem o rendimento esperado.

A exigência por reforços foi feita pelo técnico Rogério Ceni e o coordenador Muricy Ramalho depois do São Paulo terminar o Brasileirão de 2021 na 13ª posição, com apenas 48 pontos após 38 rodadas. A pior colocação do clube na história dos pontos corridos.

Atendendo às urgências do treinador, a diretoria foi atrás de reforços. Para 2022, o clube trouxe um “caminhão de contratações”, ao todo são sete nomes:  Jandrei, Rafinha, Alisson, Patrick, Nikão, Andrés Colorado e André Anderson.

Após quase 6 meses da chegada desses reforços eles vivem situações opostas dentro de campo.

Enquanto Jandrei e Rafinha são titulares absolutos e o Meio Alisson é peça bastante utilizada por Rogério, os meias Patrick e Nikão sofrem com a irregularidade e pouco são utilizados.

Ainda assim, sem o desempenho esperado para essas contratações o São Paulo briga pela ponta da tabela. Após empatar fora de casa com o Avaí por 1 a 1 no último sábado, o Tricolor finalizou a rodada na 06° colocação, com 14 pontos ganhos.

QUEM CORRESPONDE E QUEM AINDA ESTÁ DEVENDO? 

JANDREI – GOLEIRO

É o reforço mais aproveitado por Rogério Ceni até agora. Chegou para fazer sombra a Tiago Volpi que já não está mais no clube, e rapidamente tomou a vaga do antigo companheiro. O cartão de visitas foi a defesa de um pênalti logo em sua estreia, contra o Ituano, que garantiu um empate sem gols na segunda rodada.

RAFINHA – LATERAL – DIREITO

Aos 36 anos, chegou ao São Paulo para assumir a condição de titular na lateral direita, onde há pouca concorrência. Fora de campo ele recebe muitos elogios do técnico Rogério Ceni e da diretoria por seu papel como líder do elenco. Dentro dele, vem sendo peça importante.

PATRICK E NIKÃO – MEIAS

Chegou ao tricolor como a principal contratação da temporada, o camisa 10 Nikão vem sofrendo com a falta de sequência. No Athletico não participava do Campeonato estadual, o que dificultou ainda mais seu preparo físico com a comida tricolor

A situação do meia Patrick é semelhante ao camisa 10. Entretanto, teve uma lesão logo quando chegou ao clube, o que fez que ficasse 8 jogos ausentes perdendo cada vez mais espaço.

ANDRÉS COLORADO E ANDRE ANDERSON – VOLANTE E MEIA ATACANTE

As duas últimas contrações do São Paulo antes do fechamento da janela de transferências ainda não tiveram grandes destaques com a camisa tricolor.
O volante contratado para suprir a oscilação de Pablo Maia, chegou ao São Paulo no fim de fevereiro. Ficou de fora dos dois últimos jogos devido a uma lesão muscular no jogo que foi titular contra o Ceará.

Já o meia André Anderson, vindo da Europa, demorou um pouco mais para se adaptar ao estilo de jogo e o comportamento tático da equipe. Rogério ainda não deu mreforcosrouitas oportunidades, o meia disputou já disputou cinco partidas mas nunca jogou os 45 minutos completos.

Agora, para se manter na briga pelas primeiras posições, Rogério Ceni avalia seu pacote de contrações que recebeu no começo de 2022 e busca traçar um plano para que o Brasileiro da atual temporada passe longe do que foi o de 2021.

Larissa Ferraz

Jornalista em formação na Unifaat, falo de futebol feminino, São Paulo e algumas bobagens .

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.